CARACTERÍSTICAS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DIVULGAÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA – ESTUDO DAS EMPRESAS NA BOLSA DE VALORES DE LISBOA

  • Maria de Fátima Matos Mestre em Contabilidade e Fiscalidade Empresarial
  • Cristina Gonçalves Góis ISCAC - Instituto Politécnico de Coimbra
Palavras-chave: Responsabilidade Social Corporativa, Divulgação, Características Conselho de Administração.

Resumo

O conceito de Responsabilidade Social Corporativa (RSC) tem vindo a ser assumido por um número crescente de empresas. Essa tendência tem-se consubstanciado na adoção de medidas tanto internas como junto da comunidade em geral, que visam à assunção por parte das entidades de um papel ativo na esfera econômica, social e ambiental. Este estudo tem como objetivo investigar a relação entre as características do conselho de administração das sociedades e o nível de divulgação de informação acerca da RSC por parte das empresas com valores cotados na Bolsa de Valores de Lisboa. Para a investigação foi utilizada como variável dependente o nível de práticas de divulgação de RSC e como variáveis explicativas as principais características associadas ao governo das sociedades. Os resultados empíricos obtidos mostram que a proporção de conselheiros não executivos que integram o conselho de administração é a característica que mais influencia o nível das práticas de divulgação de RSC. As características relacionadas com a independência dos conselheiros ou a dualidade do poder no Conselho de administração não confirmaram as predições iniciais de influência sobre o nível de divulgação da RSC. Em termos gerais, a evidência empírica encontrada sugere que as características do conselho de administração possuem uma influência relativamente frágil sobre o nível de divulgação de RSC.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Matos, Mestre em Contabilidade e Fiscalidade Empresarial
Mestre em Contabilidade e Fiscalidade Empresarial
Cristina Gonçalves Góis, ISCAC - Instituto Politécnico de Coimbra

Professora Coordenadora

Doutora em Contabilidade

ISCAC - Instituto Politécnico de Coimbra

Referências

ARCHEL, Pablo. La divulgación de la información social y medioambiental de la gran empresa española en el período 1994 1998: situación actual y perspectivas. Revista Española de Financiación y Contabilidad,Vol. 32, N.117, p. 571-601, abr./jun. 2003.

ARCHEL, Pablo;LIZARRAGA, Fermín. Algunos determinantes de la información medioambiental divulgada por las empresas españolas cotizadas. Revista de Contabilidad, Vol. 4, N.7, p. 129-153, jan./jun.2001.

BANK FOR INTERNATIONAL SETTLEMENTS (BIS).Women on the board.Disponível em:http://www.bis.gov.uk/assets/biscore/business-law/docs/w/11-745-women-on-boards. Acesso em: 24 abr.2011.

CASANI, Fernando;LIZCANO, José Luis;FERNÁNDEZ, Alejandro. Las comisiones de responsabilidad social corporativa de los consejos de administración. Um estudiodescriptivo sobre las empresas del DJSI World. In: XIV Encuentro AECA, 23 e 24 de Setembro, Coimbra. 2010.

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS (CEE). Comunicação da Comissão relativas à responsabilidade social das empresas: Um contributo das empresas para um desenvolvimento sustentável. Bruxelas, 2002.

COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CMVM). Código de Governo das Sociedades da CMVM 2010 (Recomendações).Disponível em:http://www.cmvm.pt/CMVM/Recomendacao/Recomendacoes/Documents/CodigodeGovernodasSociedadesCMVM2010.pdf. Acesso em: 26 set. 2011

CUNHA, Vera; MARTINS, António. O Conselho de Administração e o desempenho das sociedades em Portugal. Revista Contabilidade e Gestão,N. 4, mar., p.67-92. 2007.

DIAS, António. O Relato da Sustentabilidade Empresarial: Práticas em Portugal. 100f. Dissertação (Mestrado em Contabilidade), Universidade Aberta, Lisboa, 2009.

DOMINGOS, Rui;CARVALHO, Fernando;DUARTE, Maria. Evolução na divulgação segundo a estrutura da GRI nas empresas do Euronext de Lisboa, nos anos de 2006 e 2007. In: XIV Encuentro AECA, 23 e 24 de Setembro, Coimbra. 2010.

ERHARDT, Niclas; WERBEL, James; SHRADER, Charles.Board of director diversity and firm financial performance. Corporate Governance: An international review, Vol. 11, N.2, p. 102-111, abr. 2003.

ETHOS, Instituto. Relatórios de sustentabilidade. Disponível em: http://www.ethos.org.br/DesktopDefault.aspx?TabID=4195&Alias=ethos&Lang=pt-BR. Acesso em: 20 abr.2012.

FAMA, Eugene; JENSEN, Michael. Separation of Ownership and Control. Journal of Law & Economics, 26, p. 301-325, jun., 1983.

GLOGALREPORTINGINITIATIVE (GRI). Directrizes para a elaboração de relatórios de sustentabilidade, GRI 2000-2007, versão 3.0, versão portuguesa. Disponível em: https://www.globalreporting.org/resourcelibrary/Portuguese-G3-Reporting-Guidelines.pdf. Acesso em 10dez. 2011.

GÓIS, Cristina. A idade e a formação dos administradores influenciam a qualidade da informação financeira? O estudo das empresas portuguesas do PSI 20. In:XIII Congresso de Contabilidade e Auditoria – A Change In Management, 18 a 20 de Maio, Porto. 2011.

GRAY, Rob; KOUHY, Reza; LAVERS, Simon.Constructing a research database of social and environmental reporting by UK companies: A methodological note. Accounting, Auditing & Accountability Journal, Vol. 8, N. 2, p.78-101, 1995.

GRAY, Rob; OWEN, D.; ADAMS, C. Accounting and Accountability: Changes and Challenges in Corporate Social and Environmental Reporting, Hemel Hempstead, Prentice Hall Europe, 1996. GRAY, Rob;JAVAD Mohammed;POWER, David; SINCLAIR, C. Donald.Social and environmental disclosure and corporate characteristics: A research note and extension. Journal of Business Finance & Accounting, Vol. 28, N. 3,p. 327-356, abr./ maio, 2001.

HANIFFA, R.M, e COOKE, T.E. The impact of culture and governance on Corporate Social Reporting. Journal of Accounting and Public Policy, Vol. 24, N. 5, p.391-430, 2005.

JENSEN, Michael; MECKLING, William. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure.Journal of Financial Economics, Vol. 3, N.4, p. 305-360, Outubro 1976.

JENSEN, Michael. The modern industrial revolution, exit, and the failure of internal control systems. Journal of Finance 48, p.831-880, 1993.

KPMG Advisory Consultores de Gestão.Riscos e oportunidades do desenvolvimento sustentável. - Estudo realizado às empresas cotadas em Portugal. Disponível em: http://ebookbrowse.com/riscos-oportunidades-desenvolvimento-sustentavel-kpmg2008-pdf-d261172383. Acesso em: 7 maio 2013

MICHELON, Giovanna; PARBONETTI, Antonio. The effect of corporate governance on sustainability disclosure. Springer Science+Business Media, LLC, 2010. Disponívelem: http://www.springerlink.com/content/n3214584676t2688/. Acesso: 4 set.2011.

MONEVA, José; LLENA, Fernando. Environmental disclosures in the annual reports of large companies in Spain. European Accounting Review, Vol. 9, N.1, p.7-29, 2000.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO(OCDE). Os princípios da OCDE sobre o governo das sociedades. Disponível em: http://www.oecd.org/daf/ca/corporategovernanceprinciples/33931148.pdf. Acesso em: 28 jun 2011.

PRADO José; GARCÍA Isabel; GALLEGO Isabel. Gobierno corporativo y responsabilidad social. In: XIV Congresso AECA, 19 a 21 Setembro, Valência, 2007.

PRADO José; GARCÍA Isabel;GALLEGO Isabel.Características del consejo de administración e información en materia de Responsabilidad Social Corporativa, Revista Española de Financiación y Contabilidad. Vol. 38, N. 141, p. 107-135jan./mar. 2009.

RODRIGUES, Jorge;SEABRA, Fernando; MATA, Carlos. Independência dos administradores nos bancos portugueses no PSI 20. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, V. 7, N.3, p. 34-42, jul/ set. 2008.

SARBANES OXLEY ACT. An act to protect investors by improving the accuracy and reliability of corporate disclosures made pursuant to the securities laws, and for other purposes. One Hundred Seventh Congress of the United States of America. Disponívelem: http://www.business.uconn.edu/users/adunbar/ACCT_382/content_modules/Sarbanes-Oxley/html/legislation-sarbanes-oxley.htm. Acesso em:4 set.2011.

SILVA, Artur;VITORINO, António;ALVES, Carlos;CUNHA, Jorge;MONTEIRO, Manuel. Livro Branco sobre CorporateGovernance em Portugal.Instituto Português de CorporateGovernance.

STEIN, Guido; PLAZA, Salvador. El papel del consejero independiente en la supervision y la rotation del CEO. IESE Business School, Universidade de Navarra, Estudo 133, Jan. 2011.

WORLD BUSINESS COUNCIL FOR SUSTAINABLEDEVELOPMENT. Comunicar o desenvolvimento sustentável: Encontrar o equilíbrio. Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável, BCSD Portugal.Disponível em:http://www.wbcsd.org/pages/edocument/edocumentdetails.aspx?id=144&nosearchcontextkey=true. Acesso: 24 abr. 2012.

Publicado
2013-08-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1217
  • ARTIGO downloads: 439
Seção
Artigos