A REESTRUTURAÇÃO DA PROFISSÃO DOCENTE NO CONTEXTO DA NOVA GESTÃO PÚBLICA NA AMÉRICA LATINA

Autores

  • Dalila Andrade Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2018.v27.n53.p43-59

Palavras-chave:

Profissão docente, Nova gestão pública, Novo profissionalismo

Resumo

O artigo discute mudanças ocorridas na profissão docente, nas duas últimas décadas no contexto latino-americano, com da introdução da Nova Gestão Pública (NGP). Procura demonstrar como os princípios da NGP vão se impondo na orientação das políticas públicas traduzindo-se em normas, procedimentos administrativos e em práticas que vão transformando valores e identidades junto aos profissionais docentes. Esse discurso penetra o campo da formação docente e das práticas profissionais no sistema educacional, revelando intencionalidades convergentes com os objetivos da reforma em relação aos processos escolares, determinando novas lógicas de organização e gestão que interferem nas relações de trabalho promovendo a reestruturação da profissão docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dalila Andrade Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Titular de Políticas Públicas em Educação (UFMG).
Pesquisadora do CNPq

Referências

ANDERSON, G.; HERR, K. New public management and the new professionalism in education: framing the issue. Education Policy Analysis Archives, v. 23, n. 84, p. 1-9, 2015.

ANDERSON, G. Privatizando subjetividades: como a nova gestão pública (NGP) está criando o “novo” profissional da educação. RBPAE, v. 33, n. 3, p. 593-626, set./dez. 2017.

BALL, S. J.; YOUDELL, D. Privatización encubierta en la educación pública. Informe preliminar. Bruselas, 2007.

BIRGIN, A. La docencia como trabajo: la construcción de nuevas pautas de inclusión y exclusión. In: GENTIL, P.; FRIGOTTO, G. (Comp.). La ciudadanía negada: políticas de exclusión en la educación y el trabajo. Buenos Aires: CLASCO, 2000.

BRUNS, B.; LUQUE, J. Professores excelentes – como melhorar a aprendizagem dos estudantes na América Latina e no Caribe. Washington, D.C.: Banco Mundial, 2014.

CAMARGO, R. C.; JACOMINI, M. A. Carreira e salário do pessoal docente da Educação Básica: algumas demarcações legais. Revista Educação em Foco, ano. 14, n. 17, p. 129-167, 2011.

CARVALHO, L. Intensificação e sofisticação dos processos da regulação transnacional em educação: o caso do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 37, n. 136, p. 669-683, 2016.

COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE (Cepal); ORGANIZACIÓN DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA EDUCACIÓN, LA CIENCIA Y LA CULTURA (Unesco). Invertir mejor para invertir más. Financiamiento y gestión de la educación en América Latina y el Caribe. Santiago, 2005. (Serie Seminarios y Conferencias, nº 43).

CUENCA, R. Las carreras docentes em América Latina. La acción meritocrática para el desarollo profesional. Santiago: OREALC/Unesco, 2015.

DEMAZIÈRE, D.; ROQUET, P.; WITTORSKI, R. La professionnalisation mise en objet. Paris: L’Harmattan, 2012.

DEMAZIERE, D.; LESSARD, C.; MORRISSETE, J. Les effets de la Nouvelle Gestion Publique sur le travail des professionnels: transpositions, variations, ambivalences. Éducation & Sociétés, v. 2, n. 32, p. 5-20, 2013.

DEMIRKASIMOGLU, N. Defining “Teacher Professionalism” from different perspectives. Procedia – Social and Behavioral Sciences, v. 9, p. 2047-2051, 2010.

DUARTE, A. W. B. Por que ser professor? Uma análise da carreira docente na educação básica no Brasil. 2013. 164 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Conhecimento e Inclusão Social da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2013.

FELDFEBER, M.; IMEN, P. A formação continuada dos docentes: os imperativos da profissionalização em contextos de reforma educativa. In: FERREIRA, N. S. C. (Org.). Formação continuada e gestão da educação. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 165-185.

FLORES, M. A. Discursos do profissionalismo docente paradoxos e alternativas conceptuais. Revista Brasileira de Educação, v. 19, n. 59, p. 851-869, out./dez. 2014.

GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

GREK, S. Atores do conhecimento e a construção de novos cenários de governança: o caso da Direção-Geral de Educação e Cultura da Comissão Europeia. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 37, n. 136, p. 707-726, 2016.

GRUENING, G. Origin and theoretical basis of New Public Management. International Public Management Journal, n. 4, p. 1-25, 2001.

LAWN, M. Os professores e a fabricação de identidades. Currículo sem Fronteiras, v. 1, n. 2, p. 117-130, jul./dez. 2001.

MALET, R. Former, réformer, transformer la main-d'œuvre enseignante? Politiques comparées et expériences croisées anglo-américaines. Education et Sociétés, v. 1, n. 23, p. 91-122, 2009.

OLIVEIRA, D. A. Educação e planejamento: a escola como núcleo da gestão. In: ______. (Org.). Gestão democrática da educação: desafios contemporâneos. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997. p. 174-195.

______. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

______. Mudanças na organização e na gestão do trabalho na escola. In: OLIVEIRA, D. A.; ROSAR, M. F. F. (Org.). Política e gestão da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. p. 125-144.

______. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, 2004.

OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. W.; CLEMENTINO, A. M. A nova gestão pública no contexto escolar e os dilemas dos(as) diretores(as). RBPAE, v. 33, n. 3, p. 707-726, set./dez. 2017.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT); ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCACIÓN, A CIENCIA E A CULTURA (Unesco). Recomendação da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Unesco de 1966. Paris, 1966.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Le rôle crucial des enseignants: attirer, former et retenir des enseignants de qualité. Aperçu. Paris, 2005.

PETTERSSON, D.; MOLSTAD, C. E. Professores do Pisa: a esperança e a realização da educação. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 37, n. 136, p. 629-645, jul./set. 2016.

POPKEWITZ, T. El Estado y la administración de la libertad a finales del siglo XX: descentralización y distinciones Estado/sociedad civil. In: PEREYRA, M. Et al. Globalización y descentralización de los sistemas educativos: fundamentos para un nuevo programa de la educación comparada. Barcelona: Ediciones Pomares-Corredor S/A, 1996. p. 119-168.

POPKEWITZ, T.; LINDBLAD, S. Estatísticas educacionais como um sistema de razão: relações entre governo da educação e inclusão e exclusão sociais. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 22, n. 75, p. 111-148, ago. 2001.

RODRIGUES, M. L. Sociologia das profissões. Oeiras, PT: Celta, 2002.

SACHS, J. The activist teaching profession. Buckigham: Open University Press, 2003.

SALAMA, P.; VALIER. Pobrezas e desigualdades no terceiro mundo. São Paulo: Nobel, 1997.

TENTI-FANFANI, E. T. La condición docente. Buenos Aires: Siglo Veintiuno, 2005.

TERIGI F. Desarrollo profesional continuo y carrera docente en América Latina. Santiago de Chile: PREAL, 2010. (Série Documentos, nº 50).

TIRAMONTI, G. Sindicalismo docente y reforma educativa en la América Latina de los 90. Santiago de Chile: PREAL,2001. (Série Documentos, nº 19).

VAILLANT, D. Iniciativas mundiales para mejorar la formación de profesores. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, DF, v. 91, n. 229, p. 543-561, set./dez 2010.

______. Formación inicial del profesorado en América Latina: dilemas centrales y perspectivas. Revista Española de Educación Comparada, n. 22, p. 185-206, 2013.

VERGER, A.; NORMAND, R. Nueva gestión pública y educación: elementos teóricos y conceptuales para el estudio de un modelo de reforma educativa global. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 36, n. 132, p. 599-622, jul./set. 2015.

Publicado

2018-12-29

Como Citar

OLIVEIRA, D. A. A REESTRUTURAÇÃO DA PROFISSÃO DOCENTE NO CONTEXTO DA NOVA GESTÃO PÚBLICA NA AMÉRICA LATINA. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 27, n. 53, p. 43–59, 2018. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2018.v27.n53.p43-59. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/5660. Acesso em: 9 dez. 2023.