Interculturalidade e Cultura Popular

debatendo a folclorização dentro da educação escolar

Palavras-chave: Cultura Popular, Folclore, Educação Intercultural

Resumo

Neste texto, resultante de um extenso levantamento de literatura e pesquisa bibliográfica, primeiramente, analisamos as relações estabelecidas historicamente entre a cultura popular e o espaço escolar. Para isso, realizamos uma reflexão a respeito dos processos históricos e produção acadêmica que ajudaram a alicerçar o imaginário que enxerga a cultura popular como primitiva, arcaica e até bárbara, concepções que alcançam o espaço escolar e fazem com que determinadas práticas culturais sejam abordadas de forma pitoresca e estereotipada dentro do calendário “folclórico” das escolas. Posteriormente, advogamos a necessidade da ressignificação desta mentalidade e apresentamos como as perspectivas interculturais de educação auxiliam na construção de práticas pedagógicas que valorizam a diversidade cultural, abrindo espaço para os conhecimentos, formas de sociabilidade, modos de relação com a biodiversidade presentes nas culturas populares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Alan de Sousa Cordeiro, Universidade Federal do Amapá

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Belém (PA), Brasil

Referências

ABIB, Pedro Rodolpho Jungers. Culturas populares e a luta decolonial. In: Anais do Encontro de estudos multidisciplinares em cultura. Salvador Bahia, 2019.
AMARAL, Amadeu. Tradições Populares. 2 ed. São Paulo: HUCITEC, 1976.
ANDRADE, Mario de. Aspectos do folclore brasileiro. São Paulo: Global Editora, 2019.
AYALA, Marcos; AYALA, Maria Ignês. Cultura popular no Brasil. São Paulo: Ática, 1987.
BASTIDE, Roger. Sociologia do Folclore Brasileiro. São Paulo: Anhembi, 1959.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Viver de criar cultura, cultura popular, arte e educação. In: SILVA, René Marc da Costa (org). Cultura popular e educação: salto para o futuro. Brasília: SEED/MEC, 2008.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é folclore? São Paulo: Brasiliense, 2014 (Coleção Primeiros Passos; 60).
CAMPOS, Judas Tadeu. Festas juninas nas escolas: lições de preconceitos. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 28, n. 99, p. 589-606, maio/ago. 2007.
CANDAU, Vera (org). Didática crítica intercultural: aproximações. Petrópolis-RJ: Vozes, 2012.
CANDAU, Vera. Interculturalidade e educação escolar. in CANDAU, Vera (org). Reinventar a escola. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.
CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. 4 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.
CARNEIRO, Edson. A Sabedoria Popular. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da “invenção do outro”. In LANDER, Edgardo. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires, Argentina: CLACSO, 2005. (Colección Sur Sur).
CAVALCANTI, Maria Laura. Entendendo o folclore. In: SILVA, René Marc da Costa (org). Cultura popular e educação: salto para o futuro. Brasília: SEED/MEC, 2008.
CORTELLA, M.S. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Instituto Paulo Freire; Cortez, 1998.
FERNANDES, Florestan. O folclore em questão. São Paulo: HUCITEC, 1978.
FLEURI, Reinaldo. Educação Intercultural e formação de educadores. João Pessoa: CCTA, 2018.
FOLLIET, Joseph. O povo e a cultura: culturas em debate. Rio de Janeiro: Forense, 1968.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 71 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2019.
LANDER, Edgardo. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires, Argentina: CLACSO, 2005.
LIMA, Rossini Tavares de. A ciência do folclore. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
MARTIN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 6 ed. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2009.
ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Editora brasiliense, 1985.
PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Entre América e Abya Yala – tensões de territorialidades. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 20, p. 25-30, jul./dez. 2009.
RODRIGUEZ, Mario. O fortalecimento da comunidade: estratégias educativas, comunicativas e culturais. in MOUJÁN, Inés; CARVALHO, Elson; VENÂNCIO, Dernival (orgs). Pedagogias de(s)coloniais: Saberes e Fazeres. Goiânia: Econuvem, 2020.
ROMERO, Silvio. História da literatura brasileira. Etudes Critiques de Littérature, pág. 275, Paris, 1876.
SAINTYVES, Pierre. Manuel de folklore. Paris: Ed. Emily Nourry, 1936.
SANTIAGO, Mylene; AKKARI, Abdeljalil; MARQUES, Luciana (orgs). Educação Intercultural: desafios e possibilidades. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.
SHIVA, Vandana. Monoculturas da Mente. São Paulo: Gaia, 2003.
SILVA, René Marc da Costa. Cultura popular, linguagens artísticas e educação. In: SILVA, René Marc da Costa (org). Cultura popular e educação: salto para o futuro. Brasília: SEED/MEC, 2008.
STRECK, Danilo; ADAMS, Telmo; MORETTI, Cheron. Pensamento pedagógico em nossa América: uma introdução. In: STRECK, Danilo (org). Fontes da pedagogia latino-americana: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.
TYLOR, Edward Burnett. A ciência da cultura. In: Celso Castro (org.). Evolucionismo cultural. Textos de Morgan, Tylor e Fraser. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.
Publicado
2022-08-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 179
  • PDF downloads: 0
Como Citar
CORDEIRO, A. A. DE S. Interculturalidade e Cultura Popular: debatendo a folclorização dentro da educação escolar. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 67, p. 308-324, 16 ago. 2022.