O PAPEL DO CAPITAL CULTURAL NA EDUCAÇÃO: AS INTERVENÇÕES DO “MUNDO DA XUXA” NA INFÂNCIA.

  • Raísa Queiroga Barreto Universidade Federal da Paraíba
  • Paulo Roberto Palhano Silva Universidade Federal da Paraíba

Resumo

Procurar-se-á analisar a relação da Gestão Organizacional a partir das intervenções do mundo da Xuxa na infância, a fim de aprofundar e evidenciar o Capital Cultural, presente nas Parcerias Público/Privado na Educação Infantil na contemporaneidade. Utilizar-se-á a abordagem teórico-metodológica qualitativo-exploratória do tipo bibliográfica e observação, amparado em suporte: bibliográfico e de observação assistemática com discussões pautadas no Capital Cultural na Educação Infantil e as influências da Gestão Educacional, com a coleta de dados de um roteiro de entrevista semiestruturado em uma escola pública do município de Guarabira na Paraíba. Os sujeitos da pesquisa integram a equipe pedagógica da referida escola dentre outros autores. Como aporte teórico utilizamos: Pierre Bourdieu (1964), Hans Enzensberger (1995), Nunes (1999), Heloísa Luck (2012), Cunha (2010), Luciano Carvalho (2012) que abordam questões da Educação, como prática da construção do Capital Cultural, constituída de ideologia de consumo. Nossa análise resultou em reflexões que vão muito além do que prevíamos. Combinados os resultados da pesquisa com a teoria bourdesiana relacionada com o PPP e a prática pedagógica na escola, num paradoxo entre as expectativas dos sujeitos envolvidos com a realidade cotidiana, identificando a existência de um mecanismo reprodutor que a instituição estabelece uma sólida relação com seus educandos prejudicando na sistematização de saberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 148
  • PDF downloads: 130