GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA PARA O TRATO COM A DIVERSIDADE

Palavras-chave: Administração escolar, Democratização da Educação, Educação para a Diversidade

Resumo

A partir dos estudos de Moehlecke (2009) e Carreira (2014) buscamos analisar as formulações e implementações de políticas públicas voltadas para a diversidade no âmbito da SECAD/SECADI, bem como de sua relação com a Educação Básica, onde se verificou a existência muito forte de preconceitos de toda ordem, conforme revelou a pesquisa “Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar” realizada pela Fundação Instituto Pesquisas Econômicas (FIPE, 2009) em comunidades escolares de todas as regiões do Brasil. O estudo de cunho bibliográfico, objetiva, sobretudo, apontar relações entre a administração escolar democrática e o trabalho pedagógico tendo em vista a perspectiva ontológica para o trato com a diversidade. Essas relações pressupõem a perspectiva democrática e do trabalho coletivo entre os sujeitos em formação, tomando como ponto de partida a vida cotidiana na escola e o movimento dialético entre a particularidade dos indivíduos e sua dimensão humano-genérico. Concluímos que, apesar dos esforços empreendidos na elaboração e implementação de políticas públicas para a diversidade nos Governos Lula e Dilma, as mesmas ainda não se configuram enquanto políticas de Estado, limitando-se às ações governamentais, de modo pontual, além de não terem privilegiado propostas voltadas diretamente para a Educação Básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Jucilene Lima Ferreira, Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade da Universidade do Estado da Bahia

Doutora em Educação. É vice-líder do Grupo de Pesquisa Educação do Campo: Trabalho, Contra-hegemonia e Emancipação Humana. É membro do Grupo de Articulação da Educação do Campo. É membro do Grupo de Pesquisa Formação, Experiência e Linguagem. Participa da Rede UNIVERSITAS que congrega pesquisadores do GT Política de Educação Superior/ANPED (Expansão da Educação Superior no Campo) Sub 7.

Paulo Antônio dos Santos Junior, Professor da Educação Básica nas redes estadual da Bahia e municipal de Salvador.

Licenciado em Educação Física, com mestrado em Educação e Diversidade.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2015.

BRASIL. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 10. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2014.

BRASIL. Planejando a próxima década: conhecendo as vinte metas do Plano Nacional de Educação. Ministério da Educação/Secretaria de articulação com os sistemas de ensino. Brasília, 2014.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais da Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 2013.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Gênero e Diversidade na Escola: Formação de professoras/es em Gênero, Orientação sexual e Relações Étnicos-raciais. Rio de Janeiro: CEPESC; Brasília: SPM, 2009.

CANDAU. Vera Maria F. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, Antônio Flávio; CANDAU, Vera Maria F. (Org). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petropólis, RJ: Vozes, 2008.

CARVALHO. Elma Júlia Gonçalves de. Diversidade cultural e gestão escolar: alguns pontos para reflexão. Ver. Teoria e prática da educação. v.15, n.2, p. 85-100, maio-ago, 2012.

CARREIRA, Denise. A execução orçamentária das políticas de diversidade dos governos Lula e Dilma: obstáculos e desafios. Revista Brasileira de Educação. v. 24, 2019.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. In: Crítica y emancipación: Revista latino-americana de Ciencias Sociales. Ano. 1, n.1, p. 53-76.jun.2008.

CIAVATTA, M. Resistindo aos dogmas do autoritarismo. In: FRIGOTTO, Gaudêncio. (Org). Escola “sem” Partido. Esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, 2017.

FIPE. Preconceito e discriminação no ambiente escolar. 2009. Disponível em Acesso em: 25 mar. 2018.

FERREIRA, M. J. L. Docência na Escola do Campo e Formação de Educadores: Qual o lugar do trabalho coletivo? Tese de Doutorado. Brasília: Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. 2015, 235 p.

FREITAS, Luiz Carlos de. Crítica da Organização do Trabalho Pedagógico e da Didática. 7ª ed. São Paulo: Papirus, 2005.

GOMES, N. L. Desigualdades e diversidades na educação. Rev. Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n.120, p. 687-693, jul-set, 2012.

______. N. L. Histórias da África e das Culturas Afro-Brasileiras. A construção dos plurais. In. DALBEN, A. I. L. F.; GOMES, M.F. (Orgs). Formação continuada de docentes da Educação Básica: construindo parcerias (LASEB). Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. p.87-111.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. 8 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2004.

LUKÁCS, György. Prolegômenos para uma ontologia do ser social: para uma ontologia hoje tornada possível. 1. ed. São Paulo: Boitempo; 2010.

______. Para uma ontologia do ser social 2. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2013.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2000.

PARO, Vitor Henrique. Administração Escolar: introdução crítica. 17. Ed. São Paulo: Cortez, 2012.
______. A gestão da educação ante as exigências de qualidade e produtividade da escola pública. In: SILVA, Luiz Heron da. (Org.) A escola cidadã no contexto da globalização. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 300-307. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/sem_pedagogica/fev_2010/a_gestao_da_educacao_vitor_Paro.pdf. Acesso em: 07/05/2020.

SANTOS JÚNIOR, P. A. Organização do trabalho pedagógico e o trato com a diversidade na escola pública: uma proposta de gestão escolar. Dissertação de Mestrado. Conceição do Coité: Programa de Pós-graduação em Educação e Diversidade da Universidade do Estado da Bahia, 2019.

TAFFAREL, C.N.Z.; NEVES, M. L. C. Tendências da educação frente à correlação de forças na luta de classes: uma análise do governo Bolsonaro na perspectiva educacional. Estudos IAT, Salvador, v. 4 n.2, p. 310-329, set, 2019.
Publicado
2020-11-03
Métricas
  • Visualizações do Artigo 57
  • ♪Áudio♪ downloads: 0
Como Citar
Ferreira, M. J. L., & Santos Junior, P. A. dos. (2020). GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA PARA O TRATO COM A DIVERSIDADE. Cenas Educacionais, 3, e9926. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9926
Seção
Dossiê temático