ACONTECIMENTOS CONTRAOFENSIVOS: DESLIZAMENTOS DE SENTIDOS NA PÁGINA #MARCHADASVADIAS

Resumo

Historicamente, as mulheres são vítimas de uma conjuntura patriarcal na qual são concebidas como submissas e inferiores. Estudos sobre as lutas das mulheres na sociedade e os modos como seus corpos físicos são significados são urgentes e  relevantes para a construção de  uma era  contemporânea (e futura) pautada nos direitos humanos e na equidade de gênero.  Nessa perspectiva, nosso propósito nesta pesquisa é analisar textos dados a circular em manifestações denominadas “Marcha das Vadias” e publicados na página do Instagram  #marchadasvadias,  com foco  nas imagens de  corpos seminus das mulheres. Esse movimento feminista surge em 2011 no Canadá, após um policial declarar que, para evitar estupros, as mulheres deveriam deixar de se vestir como vadias. O dizer desse sujeito filia-se a um posicionamento discursivo machista e a “Marcha das Vadias” emerge como resposta.  Práticas contraofensivas e de resistências pelo direito não só de as mulheres se vestirem como quiserem, mas também pelo fim da “cultura do estupro” são materializadas nas ruas de Toronto e discursivizadas em âmbito internacional. Acionamos procedimentos analíticos da Análise de Discurso e recorremos teoricamente a Orlandi (2005), Fernandes (2007), Courtine (2009), Milanez e Gonçalves (2018), Belting (2006), Stearns (2007) e Pinto (2010), dentre outros.  Observamos como, em tais protestos, os corpos femininos são suportes materiais e, ao mesmo tempo,  discursos centrais de práticas libertárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sidnay Fernandes dos Santos Silva, Docente no Programa de Pós-graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade da Universidade do Estado da Bahia
Doutora em Mestra em Linguística. Licenciada em Letras. É vice-líder do Grupo de Pesquisa Ensino, Discurso e Sociedade (DisSE) e pesquisadora dos grupos de pesquisa Cultura, Sociedade e Linguagem (GPCSL) e Laboratório de Estudos Epistemológicos e Discursividades Multimodais (LEEDIM).

Referências

BELTING, H. Imagem, mídia e corpo: uma nova abordagem à iconologia. Revista de Comunicação, Cultura e Teoria da Mídia. V. 8, São Paulo: julho de 2006.

BÍBLIA SAGRADA. Nova tradução na linguagem de hoje. Barueri (SP): Sociedade Bíblia do Brasil ,2009.

CASTRO JÚNIOR, Luís Vitor; SANTOS JUNIOR, Flávio Cardoso dos; FERRAZ, Ana Rita Queiroz. As performances dos corpos dançando na rua: narrativas dramáticas no vídeo vai no cavalinho. Cenas Educacionais, v. 2, n. 2, p. 96-111, dez. 2019.

CORRÊA, Manoel Luiz Gonçalves. Linguagem & comunicação social: visões da linguística moderna. São Paulo: Parábola, 2002.

COURTINE, Jean-Jacques. Introdução. In: CORBIN, A, COURTINE, J-J, VIGARELLO, G. História do corpo: as mutações do olhar. 3 ed. Petropólis/RJ: Vozes, 2009.

DELA-SILVA, Silmara Cristina. O acontecimento discursivo da televisão no Brasil: a imprensa na constituição da TV como grande mídia. Tese (Doutorado). IEL, Unicamp, Campinas, 2008.

FERNANDES, C.A. Analise do discurso: reflexões introdutórias. São Carlos/SP: Clara Luz, 2007.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 11. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

MAINGUENEAU. D. Cenas da enunciação. Curitiba: Criar Edições, 2006

MILANEZ, N. & GONÇALVES, L,J. Corpo e práticas libertárias: uma genealogia das mãos em videoclipes de divas pops (1983-2017). Linguasagem. vol 29, n.1, 2018.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Analise do Discurso: princípios e procedimentos. 6 ed. Campinas, SP: Pontes, 2005.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso em Análise: Sujeito, Sentido e Ideologia. 2 ed. Campinas, SP: Pontes, 2015.

PINTO, Céli Regina Jardim. Feminismo, História e Poder. Revista de Sociologia e Política. Curitiba, v. 18, n. 36, p. 15-23, jun. 2010.

SILVA, Jonatan dos Santos; MARTA, Felipe Eduardo Ferreira. “DO QUINTAL À RUA”: A CAPOEIRA EM VITÓRIA DA CONQUISTA-BA NA MEMÓRIA DO MESTRE DONIZETE (1950/60). Cenas Educacionais, v. 2, n. 2, p. 3-24, dez. 2019.

STEARNS, Peter Nathaniel. Histórias das relações de gênero. São Paulo: Contexto, 2007.

https://veja.abril.com.br/brasil/marcela-temer-bela-recatada-e-do-lar/. Acesso: 16 out 2019.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcha_das_Vadias. Acesso: 10 nov 2019.

Publicado
2020-09-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 19
  • PDF downloads: 19
Como Citar
SILVA, S. F. DOS S.; FERREIRA, L. DA S. ACONTECIMENTOS CONTRAOFENSIVOS: DESLIZAMENTOS DE SENTIDOS NA PÁGINA #MARCHADASVADIAS. Cenas Educacionais, v. 3, p. e7803, 13 set. 2020.
Seção
Dossiê Temático - Ensino e Discurso