PERCEPÇÕES DE EDUCAÇÃO NO JORNAL MACAUENSE 1886-1889

Palavras-chave: Educação. Jornal Macauense. Conservadorismo.

Resumo

Este artigo analisa as concepções presentes no Jornal Macauense acerca do papel do Estado na educação brasileira, expressas em seus escritos jornalísticos editados entre 1886-1889. Nesse sentido, o trabalho tem como procedimentos o método indiciário na análise de periódicos do jornal. Ainda, procura investigar os desdobramentos sociais advindos da inserção da Imprensa Potiguar no século XIX, relacionando com as visões de educação no período abordado. Para tal, tem-se como aporte teórico Ginzburg (1989), Costa (2013) e Bueno (1999). Diante disso, foi observado que os periódicos abordaram a educação sobre a perspectiva conversadora, monarquista e imperialista, expressa nos escritos de seus redatores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélio Teodósio de Melo Filho, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Brasil

Mestrando em Educação Profissional pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte.

Heriberto Silva Nunes Bezerra, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Brasil

Mestrando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Profissiona do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (PPGEP/IFRN).

Olívia Morais de Medeiros Neta, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande no Norte (UFRN). 

Referências

ARÓSTEGUI, Júlio. A pesquisa histórica. Teoria e método. Bauru: Edusc, 2006.

AZEVEDO, Fernando de. A descentralização e a dualidade de sistemas. In: A cultura brasileira. 4 ed. Brasília: UnB, 1963.

BONIFAZI, Elio; DELLAMONICA, Umberto. Descobrindo a História: Idade Moderna e Contemporânea, 8ª série. São Paulo: Ática, 2002.

BUENO, Almir de Carvalho. Visões de República: ideias e práticas políticas no Rio Grande do Norte (1880-1895). 2 ed. Natal, 1999.

CASCUDO, Luís da Câmara. História do Rio Grande do Norte. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1955.

CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1990.

CHAGAS, Valnir. Educação Brasileira: o ensino de 1º e 2ºgraus- antes, agora e depois. São Paulo: Saraiva,1980.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil. O longo Caminho. 3ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

COSTA, Helensandra Lima da. A Família do Tesouro: a monumentalização da família Albuquerque Maranhão e a luta pelo poder no Rio Grande do Norte (1889-1914). Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Pós-graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.

GINZBURG, Carlos. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Cia. das letras, 1989. p.177.

HUNT, Lynn. (org.). A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 7 Ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 2000.

O MACAUENSE: Órgão de Interesse social. Macau, 20 set. 1886.

O MACAUENSE: Órgão de Interesse social. Macau, 2 out. 1886.

O MACAUENSE: Órgão de Interesse social. Macau, 17 maio. 1887.

O MACAUENSE: Órgão de Interesse social. Macau, 16 jul. 1888.

O MACAUENSE: Órgão de Interesse social. Macau, 6 abr. 1889.

Publicado
2020-03-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 191
  • PDF downloads: 78
Como Citar
Melo Filho, H. T. de, Bezerra, H. S. N., & Medeiros Neta, O. M. de. (2020). PERCEPÇÕES DE EDUCAÇÃO NO JORNAL MACAUENSE 1886-1889. Cenas Educacionais, 2(Espec), 4-17. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7358