AS TRAMAS E OS MOVIMENTOS DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: SUJEITO E INTERDISCIPLINARIDADE NOS DOCUMENTOS OFICIAIS

Palavras-chave: Discurso. Formação de professores. Interdisciplinaridade. Sujeito.

Resumo

Esta pesquisa tem o intuito de investigar como o sujeito egresso é constituído no seu dizer, levando em consideração a prescrição curricular da interdisciplinaridade, no projeto do curso de Letras com habilitação em língua inglesa. Para tanto, transitamos pelos documentos oficiais que regem a formação de professores e pela escrita de si de professoras. A perspectiva teórico-metodológica adotada baseia-se na Análise do Discurso e nas noções foucaultianas de sujeito e discurso. Os procedimentos analíticos perpassam pelo movimento da descrição do regime dos discursos sobre a interdisciplinaridade e das condições históricas de seu aparecimento, buscando no âmbito social as relações de saberes e poderes que lhe são próprias; e a análise de elementos dos documentos oficiais e da escrita de si que demonstrem coerência nas condições de possibilidade desses saberes na atualidade. Observamos que, a despeito de os egressos serem formados a partir de um projeto estruturado em eixos e direcionado teoricamente à interdisciplinaridade, os enunciados das professoras mostraram a posição central dos estudos da língua e do ensino enciclopédico, tanto no curso de licenciatura como na sua própria prática docente. É preciso, portanto, propor práticas formativas calcadas na constante pesquisa, constatação e intervenção do cotidiano educacional para promover transformações sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geysa Dayanne Gomes da Costa, Mestranda em Letras: Linguagem, Cultura e Sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.
Licenciada em Letras. Participante do Laboratório de estudo do audiovisual e do discurso.
Janaina de Jesus Santos, Professora no Programa de Pós-graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade da Universidade do Estado da Bahia Bahia.

Pós-doutora. Doutora em Linguística e Língua Portuguesa. Mestra em Estudos Linguísticos. Licenciada em Letras. Líder do Laboratório de Estudos do Audiovisual e do Discurso.

Referências

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 28. Ministério da Educação. Diário Oficial da União, Brasília. 18 jan. 2002. Seção 1, p. 31. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/028.pdf>. Acesso em: 8 out. 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº1, de 18 de fevereiro de 2002. Conselho Nacional de Educação/Conselho Pleno. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de abril de 2002. Disponível em:

<http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf>. Acesso em: 8 out. 2018.

FAZENDA, Ivani (Org.). Interdisciplinaridade: História e Pesquisa. 2. ed., Campinas: Papirus, 1995.

______. Interdisciplinaridade: Qual o sentido? São Paulo: Paulus, 2003.

______. O que é interdisciplinaridade? São Paulo: Cortez, 2008.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: Ética, sexualidade, política. Organização de Manoel Barros da Motta. Tradução de Elisa Monteiro, Inês Autran D. Barbosa. 2. ed. Rio de Janeiro:

Forense Universitária, 2006.

______. (1969). A arqueologia do saber. 7. ed. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

GATTI, Bernardete Angelina. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-

>. Acesso em: 22 jul. 2017.

JAPIAUSSI, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

MOITA LOPES, Luiz Paulo. Linguística aplicada e vida contemporânea. In: ______. (Org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 85-107.

PENNYCOOK, Alastair. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006, p. 67-84.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo: Parábola, 2003.

PROJETO de reconhecimento do Curso de Graduação em Letras com habilitação em Língua Inglesa e suas literaturas. Bahia, 2007.

Publicado
2019-06-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 263
  • ♪Áudio♪ downloads: 5
Como Citar
Costa, G. D. G. da, & Santos, J. de J. (2019). AS TRAMAS E OS MOVIMENTOS DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: SUJEITO E INTERDISCIPLINARIDADE NOS DOCUMENTOS OFICIAIS. Cenas Educacionais, 2(1), 121-142. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/6316
Seção
Artigos (Fluxo Contínuo)