DESVIOS POSTURAIS EM ESTUDANTES BRASILEIROS: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Palavras-chave: Postura. Estudantes. Métodos Epidemiológicos.

Resumo

O período estudantil exige manutenção de determinadas posturas, desenvolvendo adaptações posturais, por vezes deletérias à saúde e qualidade de vida. A presente revisão da literatura objetivou analisar o perfil metodológico das publicações que investigam os desvios posturais em estudantes brasileiros e discutir as prevalências e fatores associados aos desvios posturais nessa população diante das evidências apresentadas pela literatura. Trata-se de uma revisão da literatura, com busca artigos publicados até o dia 13 abril na coleção brasileira da Scientific Electronic Library Online (Scielo) norteada pelo descritor “POSTURA” e seus similares em inglês e espanhol. A análise dos textos considerou o desenho metodológico da investigação, as características do desenho amostral e seus principais resultados das prevalências de desvios posturais e fatores associados. Os resultados indicam estudos exclusivamente de corte transversal, composto principalmente por amostras probabilísticas, valendo-se da fotogrametria, análise observacional e fotometria como métodos para avaliação posturais, regularmente sem o apoio de protocolo validado. Foram identificadas elevadas prevalências de desvios posturais associando-se com determinadas faixas etárias e sexos, com excesso de peso e atividade física. Parece que o acúmulo de informações é insuficiente para determinar associação entre os hábitos estudantis e os desvios posturais. Conclui-se que há uma preferência pela utilização de estudos de corte transversal com amostras representativas, e que os desvios posturais estão disseminados na população de estudantes se associando a agentes estressores de maneira rotineira que causam alterações na postura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emille Prates Teixeira, Especializanda em Saúde Pública pela UNINTER.
Graduada em Fisioterapia. Pesquisadora no Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação, Cultura e Saúde.
Juliana Barros Ferreira, Docente no Centro Universitário de Tecnologias e Ciências, na Faculdade Independente do Nordeste e da UNINASSAU.
Mestre em Tecnologias em Saúde. Graduada em Fisioterapia. Coordenadora do grupo de pesquisa Atuação do Profissional de Estética e Cosmética nas Afecções Corporais e Faciais.

Referências

AINSWORTH, B. E.; MATTHEWS, C. E. Pesquisa Epidemiológica em Atividade física. In: THOMAS, J. R.; NELSON, J. K. Métodos de Pesquisa em Atividade Física. 5ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2007.

ALBUQUERQUE, A. C. A. et al. Anatomia humana axial e do aparelho locomotor: texto e atlas. São Paulo: Roca, 2010.

ARAÚJO, M. E. A.; et al. Redução da dor crônica associada à escoliose não estrutural, em universitárias submetidas ao método Pilates. Motriz, v.16 n.4, p.958-966, 2010.

BALAQUÉ, F.; TROUSSIER, B.; SALMINEN, J. J. Non-specific low back pain in chijdren and adolescents; riskfactores. European spine Journal, v.8, n.6, p.429-438, 1999.

BARROS, S. S.; SIQUEIRA, G. R.; SILVA, G. A. P. Lombalgia ocupacional e a postura sentada. Revista Dor, v.12, n.3, p.226-230, 2011.

BATISTÃO, M. V. et al. Posture and musculoskeletal pain in eutrophic, overweighed, and obese students. A cross-sectional study. Motriz, v.20, n.2, p.192-199, 2014.

BLACK, A. Escola Postural: uma alternativa para a Saúde da Coluna Vertebral. Porto Alegre: Rígel, 1993.

BRACCIALLI, L. M. P.; VILARTA, R. Aspectos a serem considerados na elaboração de programas de prevenção e orientação de problemas posturais. Revista paulista de educação física, v.14, n.1, p.16-28, 2000.

BUENO, R. C. S.; RECH, R. R. Desvios posturais em escolares de uma cidade do Sul do Brasil. Revista Paulista de Pediatria, v.31, n.2, p.237-42, 2013.

CAILLIET, R. Dor Cervical e no Braço. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2003.

CAILLIET, R. Dor no Joelho. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2001.

CASTRO, P. C. G.; LOPES, J. A. F. Computerized evaluation by digital photography, an evaluation resource for global postural reeducation. Acta Fisiátrica, v.10, n.2, p.83-88, 2003.

CAMPOS, M. A. Biomecânica da musculação. Rio de Janeiro: Sprint, 2000.

CARNEIRO, J. A. O.; SOUZA, L. M.; MUNARO, H. L. R. Predominância de desvios posturais em estudantes de educação física da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Revista Saúde.com, v.1, n.2, p.118-123, 2005.

CONTRI, D. E.; PETRUCELLI, A.; PEREA, D. C. B. N. M. Incidência de desvios posturais em escolares do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental. ConScientiae Saúde, v.8, n.2, p.219-224, 2009.

CALVETE, S. A. A relação entre alteração postural e lesões esportivas em crianças e adolescentes obesos. Motriz, v.10, n.2, p.6772, 2004.

CHRISTIE, H. J.; KUMAR, S.; WARREN, S. A. Postural aberrations in low back pain. Archives of physical medicine and rehabilitation, v.76, n.3, p.218-224, 1995.

CICCA, L. O.; JOÃO, S. M. A.; SACCO, I. C. N. Caracterização postural dos membros inferiores de crianças obesas de 7 a 10 anos. Fisioterapia e Pesquisa, v.14, n.2, p.40-47, 2007.

COELHO, J. J. et al. Influência da Flexibilidade e Sexo na Postura de Escolares. Revista Paulista de Pediatria, v.32, n.3, p.223-8, 2014.

DANGELO, J. G.; FATTINI, C. A. Anatomia Humana: Sistêmica e Segmentar. 3ª edição. São Paulo: Atheneu, 2007.

DETSCH, C. et al. Prevalência de alterações posturais em escolares do ensino médio em uma cidade no Sul do Brasil. Revista Panam Salud Publica, v.21, n.4, p.231-238, 2007.

DETSCH, C.; CANDOTTI, C. T. A. A incidência de desvios posturais em meninas de 6 a 17 anos da cidade de Novo Hamburgo. Movimento, Porto Alegre, v. 7, n.15, p. 43-56. 2001.

DOHNERT, M. B.; TOMASI, E. Validade da fotogrametria computadorizada na detecção de escoliose idiopática adolescente. Revista Brasileira de Fisioterapia, v.12, n.4, p.290-7, 2008.

EURICH, R. B.; KLUTHCOVSKY, A. C. G. C. Avaliação da qualidade de vida de acadêmicos de graduação em Enfermagem do primeiro e quarto anos: influência das variáveis sociodemograficas. Revista de psiquiatria do Rio Grande do Sul, v.30, n.3, p.211-220, 2008.

EVCIK, D.; YÜCEL, A. Lumbar lordosis in acute and chronic low back pain patients. Rheumatology International, v.23, n.4, p.163-5, 2003.

FALÇÃO, F. R. C.; MARINHO, A. P. S.; SÁ, K. N. Correlação dos desvios posturais com dores musculoesqueléticas. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v.6, n.1, p.54-62, 2007.

FERREIRA, G. D. et al. prevalência de dor nas costas e fatores associados em adultos do sul do Brasil: estudo de base populacional. Revista brasileira de fisioterapia, v.15, n.1, p.31-

, 2011.

GRAUP, S.; SANTOS, S. G.; MORO, A. R. P. Estudo descritivo de alterações posturais sagitais da coluna lombar em escolares da rede federal de ensino de Florianópolis. Revista Brasileira de Ortopedia, v.45, n.5, p.453-9, 2010.

GUIMARÃES, M. M. B.; SACCO, I. C. N.; JOÃO, S. M. A. Caracterização postural da jovem praticante de ginástica olímpica. Revista Brasileira de Fisioterapia, v.11, n.3, p.213-219,

HARRELSON, G. L.; SWANN, E. Medidas em reabilitação. In: ANDREWS, J. R.; HARRELSON, G. L.; WILK, K. E. Reabilitação física do atleta. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, p.105-34. 2005.

IUNES, D. H. et al. Confiabilidade intra e interexaminadores e repetibilidade da avaliação postural pela fotogrametria. Revista Brasileira de Fisioterapia, v.9, n.3, p.327-334, 2005.

JESUS, G. T.; MARINHO, I. S. F. Causas de lombalgia em grupos de pessoas sedentárias e praticantes de atividade física. Lecturas Educacion Física y Deports, Revista digital, v.10, n.92, 2006.

KISNER, C.; COLBY, L. A. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. 4 ed. São Paulo: Manole, 2005.

KLEIN, C. H.; BLOCK, K. V. Estudos seccionais. In: MEDRONHO, R de A. et al. Epidemiologia. 2ª edição. São Paulo: Atheneu, 2009.

KNOPLICH, J. Como se tratam os desvios da coluna. São Paulo: Biogalênica/ciba, 1985.

LEMOS, A. T.; SANTOS, F. R.; GAYA, A. C. A. Hiperlordose lombar em crianças e adolescentes de uma escola privada no Sul do Brasil: ocorrência e fatores associados. Caderno Saúde Pública, v.28, n.4, p.781-788, 2012.

LOTH, E. A. et al. Avaliação do controle postural em adultos jovens através da posturografia dinâmica Foam-laser e plataforma de força. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. v. 17, n. 3, p. 171-174. 2011.

MARRAS, W. S. Occupational low back disorder causation and control. Ergonomics, v.43, n.7, p.880-902, 2000.

MEDRONHO, R. A.; PEREZ, M. A. Testes Diagnósticos. In: MEDRONHO, R. de A. et al. Epidemiologia. 2ª edição. São Paulo: Atheneu, 2009.

MELO, R. S. et al. Análise postural da coluna vertebral: estudo compartivo entre surdos e ouvintes em idade escolar. Fisioterapia e movimento, v.25, n.4, p.803-810, 2012.

MONTEIRO, L. C.; LOPES, P. L. Avaliação para Atividades Físicas. 2 ed. Jundiaí: Fontoura, 2009.

MUSSI, R. F. F.; TEIXEIRA, E. P.; FIGUEIREDO, A. C. M. G. Problema/Dor articular e atividade física de tempo livre em Quilombo Baiano, Brasil. Revista de Ciências Médicas e

Biológicas, v.15, n.1, p.68-72, 2016.

NETTO Jr, J.; PASTRE, C. M.; MONTEIRO, H. L. Alterações posturais em atletas brasileiros do sexo masculino que participaram de provas de potência muscular em competições internacionais. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v.10, n.3, p.195-198, 2004.

PALMER, M.L.; EPLER, M.E.; Técnicas de Avaliação Musculoesqueléticas. 2º edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

PEZZAN, P. A; SACCO, I. C; JOÃO, S. M. Foot posture and classification of the plantar arch among adolescent wearers and non-wearers of high-heeled shoes. Revista Brasileira de Fisioterapia, v.13, n.5, p.398-404, 2009.

PEREIRA, D. S. L. et al. Relationship of musculoskeletal pain with physical and functional variables and postural changes in school children from 6 to 12 years of age. Brazilian Journal of Physical Therapy, v.17, n.4, p.392-400, 2013.

PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e prática. (12ª reimpressão). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

PINHO, R. A; DUARTE, M. F. S. Análise postural em escolares de Florianópolis, SC. Revista brasileira de atividade física e saúde, v.1, n.2, p.49-58, 1995.

POLISSENI, M. L. C; RESENDE, C. P; FAIÃO, D. R; FERREIRA, M. E. C, FORTES, L. S. Avaliação postural e muscular da cintura escapular em adultos jovens, estudantes universitários. Revista brasileira Ciência e Movimento, v.18, n.3, p.56-63, 2010.

ROSSI, L. P.; BRANDALIZE, M.; GOMES, A. R. S. Efeito agudo da técnica de reeducação postural global na postura de mulheres com encurtamento da cadeia muscular anterior. Fisioterapia e Movimento. v.24, n.2, p.255-263, 2011.

SACCO, I. C. N. et al. Confiabilidade da fotogrametria em relação a goniometria para avaliação postural de membros inferiores. Revista brasileira de fisioterapia, v.11, n.5, p.411-417, set-out. 2007.

SALMINEN, J. J. The adolescent back. A field survey of 370 Finnish schoolchildren. Acta Pediatr Scand Suppl, v.315, p.1-122, 1984.

SANTOS, S. S.; MUSSI, R. F. F. Patologias posturais de joelho e atividades físicas habituais em universitários guanambienses. Coleção pesquisa em educação física, v.8, n.4, p.131-

, 2009.

SANTOS, C. I. S. et al. Ocorrência de desvios posturais em escolares do ensino público fundamental de Jaguariúna, São Paulo. Revista Paulista de Pediatria, v.27, n.1, p.74-80,

SANTOS, M. M. et al. Análise postural fotogramétrica de crianças saudáveis de 7 a 10 anos: confiabilidade interexaminadores. Revista Brasileira de Fisioterapia, v.13, n.4, p.350-355,

SILVA, D. A. S. et al. Associação do sobrepeso com variações sócio-demográficas e estilo de vida em universitários. Ciência e Saúde Coletiva, v.16, n.11, p.4473-4479, 2011.

SILVA, L. R. et al. Alterações posturais em crianças e adolescentes obesos e não-obesos. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desenvolvimento Humano, v.13, n.6, p.448-454, 2011.

SILVA, W. G. Análise ergonômica do posto de trabalho do armador de ferro da construção civil. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2001.

SMITH, L. K.; WEISS, E. L.; LEHMKUHL, L. D. Cinesiologia Clínica de Brunnstrom. 5ª edição. São Paulo: Manole,1997.

SOUZA Jr, J. V. et al. Perfil dos desvios posturais da coluna vertebral em adolescentes de escolas públicas do município de Juazeiro do Norte – CE. Fisioterapia e Pesquisa, v.18, n.4, p.311-316, 2011.

TEIXEIRA, E. P. et al. Problema crônico de coluna/dor nas costas em população quilombolas de região baiana, nordeste brasileiro. Fisioterapia e Pesquisa, v.26, n.1, p.85-90 2019.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Metodos de pequisa em atividade física. 5ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2007.

TRIBASTONE, F. Tratado de Exercícios Corretivos Aplicados à Reeducação Motora Postural. São Paulo: Manole, 2001.

VACARI, D. A. et al. Principais Métodos de Diagnóstico Postural da Coluna Lombar. Revista da Educação Fisica/UEM, v.24, n.2, p.305-315, 2013.

VEIGA, P. H. A.; DAHER, C. R. M.; MORAIS, M. F. F. Alterações posturais e flexibilidade da cadeia posterior nas lesões em atletas de futebol de campo. Revista brasileira de ciências do esporte, v.33, n.1, p.235-248, 2011.

WATSON, A. W. S. Procede for the production of high quality photographs suitable for the recording and evaluation of posture. Revista de fisioterapia da universidade de São Paulo,

v.5, n.1, p.20-26, 1998.

Publicado
2019-06-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1065
  • ♪Áudio♪ downloads: 8
Como Citar
Teixeira, E. P., & Ferreira, J. B. (2019). DESVIOS POSTURAIS EM ESTUDANTES BRASILEIROS: UMA REVISÃO DE LITERATURA. Cenas Educacionais, 2(1), 81-106. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/6300
Seção
Dossiê temático