AMOR EM SILÊNCIO: A CONSTRUÇÃO DA SEXUALIDADE EM PESSOAS SURDAS

Palavras-chave: Amor, Sexualidade, Surdo, Ensino, Aprendizagem

Resumo

O presente artigo aborda a temática “Amor em silêncio: a construção da sexualidade em pessoas surdas” com o intuito de fortalecer o trabalho educativo como um dos elementos fundamentais para o conhecimento da pessoa surda. Assim, surgiu as seguintes indagações: como o professor deve proporcionar condições para que os alunos surdos expressem suas ideias sobre a sexualidade? Quais as estratégias utilizadas para efetivar a transposição didática do tema? Quais as metodologias que pode facilitar o entendimento do conhecimento científico, associando-o ao cotidiano do aluno ao aluno surdo? A pesquisa objetivou compreender a concepção de sexualidade de alunos surdos e não surdos e saber como expressam, mesmo no silêncio. A metodologia da pesquisa possui eminentemente caráter qualitativo, pois busca entender um fenômeno específico, trabalhando com descrições, comparações e interpretações analíticas, articulando teoria e experiencias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Francinete Leite Junior, Doutorando em Psicologia Clínica pela Universidade Católica do Pernambuco - Brasil

Mestre em Psicologia pela Universidade de Fortaleza. Docente no Centro Universitário Dr. Leão Sampaio e na rede Municipal de Educação de Jardim. Líder do Grupo de Pesquisa Psicologia e Subjetividades Contemporâneas.

João Batista Monte de Oliveira, Especialista em Libras pela Faculdade de Ciências Administrativas e de Tecnologia - Brasil

Graduado em Pedagogia pela Faculdade Fazenda Nova do Imigrante. Professor da Rede Pública Municipal de Brejo Santo.

Pedro João Cavalcante Junior , Graduando em Matemática pela Universidade Regional do Cariri - Brasil

Professor da Rede da Rede Privada de ensino da cidade de Brejo Santo.

Referências

ÁVILA, M. B. Direitos Reprodutivos: o caos e a ação governamental. In: CORRÊA, S.; ÁVILA, M.B. Os Direitos Reprodutivos e a condição feminina. Recife: SOS Corpo, 2003.

BECHE, R. C. E. A sexualidade do surdo: retalhos silenciosos na constituição da sua identidade. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

BISOL, C. A. Adolescer no contexto da surdez: questões sobre a sexualidade. Tese (Doutorado em psicologia do desenvolvimento). Programa de pós-graduação em psicologia do desenvolvimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008.

BRAGA, E. R. M. Educação sexual e escola. In: Informativo UEM. Ano IV, nº 853, 11 de fevereiro de 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros Curriculares Nacionais. Temas Transversais. 3 ed. Brasília: MEC/SEF, 1999.

_________Direitos Humanos como Tema Global. São Paulo: Perspectiva, 1995.

CORRÊA, S.; JANNUZZI, P. M.; ALVES, J. E. D. Direitos e saúde sexual e reprodutiva: marco teórico-conceitual e sistema de indicadores. In: CAVENAGHI, Suzana (Org.). Indicadores municipais de saúde sexual e reprodutiva. 2006. Rio de Janeiro: ABEP, Brasília: UNFPA, 2006.

FIGUEIREDO, A. A. F.; QUEIROZ, T. N. A utilização de rodas de conversa como metodologia que possibilita o diálogo. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero, 10, 2013, Florianópolis.

GESSER, A. LIBRAS? Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola editorial, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GLAT, R. Saúde Sexual, Deficiência e Juventude em Risco. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2004.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, elaboração, análise e interpretação dos dados. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LIONÇO, T.; DINIZ, D. Homofobia e Educação: Um desafio ao silêncio. Ed. Brasília, DF: Editora da UnB, 2009.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 2007.

MAIA, A. C. B. Sexualidade e deficiências no contexto escolar. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília, 2008.

MINAYO, M. C. S. (Org.) Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. 6 ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2006.

MOREIRA, S. Z. A mulher surda e suas relações de gênero e sexualidade. In: SKLIAR, C. A Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre, Mediação, 2010.

SAMPAIO, J. et. al. Limites e potencialidades das rodas de conversa no cuidado em saúde: uma experiência com jovens no sertão pernambucano. Interface, Botucatu, v. 18, supl. 2, 2014.

SILVA, R. C. P.; MEGID NETO, Jorge. Formação de professores e educadores para abordagem da educação sexual na escola: o que mostram as pesquisas. Ciência e Educação, v. 12, n. 2, 2006.

VITIELLO, N. Reprodução e Sexualidade. São Paulo: Ceich, 2004.

WITKOSKI, S. A. Surdez e preconceito: a norma da fala e o mito da leitura da palavra falada. Revista Brasileira de Educação. v. 14 nº. 42, set./dez, 2009.

Publicado
2021-09-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 127
  • ♪Áudio♪ downloads: 4
Como Citar
Leite Junior, F. F., Oliveira, J. B. M. de, & Cavalcante Junior , P. J. (2021). AMOR EM SILÊNCIO: A CONSTRUÇÃO DA SEXUALIDADE EM PESSOAS SURDAS. Cenas Educacionais, 4, e11876. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11876
Seção
Dossiê Temático