RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA, ESCOLA E ESPECIALISTAS NO PROCESSO DE INCLUSÃO ESCOLAR DE CRIANÇAS AUTISTAS NO MUNICÍPIO DE CAMPO FORMOSO/BA

Palavras-chave: Autismo, Escola, Inclusão escolar

Resumo

O presente trabalho teve como principal objetivo investigar possíveis colaborações da família da escola e de especialistas no processo de inclusão escolar de três crianças autistas, estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental, do município de Campo Formoso, Bahia. Para tanto, participaram do estudo as mães das crianças, uma professora de atendimento educacional especializado, uma mediadora escolar, uma psicóloga e uma fonoaudióloga. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, questionários e observação e foram analisados qualitativamente. Concluiu-se precariedade na interação entre familiares, educadores e especialistas das crianças, além da inexistência planejamento conjunto para elaboração de roteiros e de atividades a ser trabalhadas com os estudantes autistas. Destacou-se o interesse e participação das mães das crianças na busca por direitos de seus filhos e de alternativas para que a inclusão de fato aconteça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samara da Silva Carvalho, Universidade Federal do Vale do São Francicso - Brasil

Licenciada em Ciências da Natureza.

Gisele Soares Lemos Shaw, Professora na Universidade Federal do Vale do São Francisco - Brasil

Doutora em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Líder do Núcleo de Pesquisa Educação em Ciências

Referências

AMARAL, A. S. C.; SHAW, G. S. L. Dificuldades e conquistas no processo de ensino-aprendizagem de estudante autista em sala de aula do ensino regular do município de Antônio Gonçalves/Bahia. Perspectivas em Diálogo, Naviraí, v.7, n. 15, p. 229-238, jul./dez. 2020. Disponível em file:///C:/Users/gisel/Downloads/9664-Texto%20do%20artigo-43545-1-10-20201124.pdf, acesso 20, maio,2020.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION – APA. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-V, Porto Alegre: Artmed, 2014.

ASSUMPÇÃO JÚNIOR, F. B.; KUCZYNSI, E. Autismo infantil: novas tendências e perspectivas. 2. ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2015.

ARMONIA, C. A. Autismo e linguagem infantil. In: ASSUMPÇÃO JÚNIOR, F. B.; KUCZYNSI, E. Autismo infantil: novas tendências e perspectivas. 2. ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2015.

BRASIL, M. E. Lei nº 13. 146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm> Acesso em: 22, nov,2020.

BRASIL. Lei nº 10.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2012/lei-12764-27-dezembro-2012-774838-norma-pl.html , acesso em 20, 05, 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

COSTA, F. B. L. O processo de inclusão do aluno autista na escola regular: análise sobre as práticas pedagógicas – Caicó: UFRN, 2017.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. In: Revista de Administração de Empresas, v.35, n.2, Mar./Abr. 1995a, p. 57-63. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v.35, n.3, Mai./Jun. 1995b, p. 20-29.

MATIAS, H. B, R.; PROBST, M. A criança com Transtorno do Espectro Autista, a escola e o professor: algumas reflexões. Profissão Docente, Uberaba-MG, v.18, n. 38, p.158-170, jan./jun. 2018.

NASCIMENTO, T. T. C. A inclusão de uma criança com TEA na rede privada de ensino: um estudo de caso sobre a parceria escola família. 2017. 66 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa/PB, 2017.

OLIVEIRA, D. G.; ANGELO, C. M. P.; STREIECHEN, E. M. Transtorno do espectro autista e formação docente: perspectivas de alunos do curso de letras. Teoria e Prática da Educação, v. 23, n.3, p. 77-95, Setembro/Dezembro, 2020.

PONCE, J. O.; ABRÃO, J. L. F. Autismo e inclusão no ensino regular: o olhar dos professores sobre esse processo. Estilos da Clínica, 2019, V. 24, nº 2, p. 342-357.

SHAW, G. S. L.; ROCHA, K. J. J.; OLIVEIRA, C. C. A. R. Um olhar sobre a inclusão escolar de crianças com transtorno do espectro autista: casos no centro norte da Bahia. In: SIQUEIRA, Maxwell (org.). Inclusão escolar e ensino de ciências na Bahia: perspectivas em diferentes contextos e abordagens. Editora CRV: Curitiba, 2019. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/337971351_Um_olhar_sobre_a_inclusao_escolar_de_criancas_com_Transtorno_do_Espectro_Autista_casos_no_centro-norte_da_BahiaA_look_at_the_school_inclusion_of_children_with_Autistic_Spectrum_Disorder_cases_in_north , acesso 20, 05, 2021.

SILVA, A. B. B.; GAIATO, M. B.; REVELES, L. T. Mundo singular: entenda o autismo. Fontanar, 2012.

SANT’ANA, I. M. Educação inclusiva: concepções de professores e diretores. Psicologia em Estudo, v. 10, n. 2, p. 227-234, mai./ago. Maringá, 2005.

SAPON-SHEVIN, M. Celebrando a diversidade, baseando-se nelas. In: STAINBACK, Susan; STAINACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artmed, 1999. p. 288-305.

Publicado
2021-06-15
Métricas
  • Visualizações do Artigo 378
  • ♪Áudio♪ downloads: 4
Como Citar
Carvalho, S. da S., & Shaw, G. S. L. (2021). RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA, ESCOLA E ESPECIALISTAS NO PROCESSO DE INCLUSÃO ESCOLAR DE CRIANÇAS AUTISTAS NO MUNICÍPIO DE CAMPO FORMOSO/BA. Cenas Educacionais, 4, e11868. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11868
Seção
Dossiê Temático