A PERCEPÇÃO FAMILIAR ACERCA DA ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL PRESTADA POR UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL II

Palavras-chave: Relações Interpessoais, Saúde Mental, Centro de Atendimento Psicossocial

Resumo

O presente estudo teve o objetivo de analisar o entendimento das famílias que acompanham usuários adultos com transtornos mentais em um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) tipo II sobre os paradigmas da Reforma Psiquiátrica Brasileira (RPB) e a nova configuração de atenção integral à saúde mental. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter descritivo-exploratório realizada no CAPS II, no interior da BA com familiares/responsáveis participantes dos grupos de familiares. Participaram 15 familiares, respeitando as questões éticas e aplicado TCLE, submetido à Análise de Conteúdo inspirada em Bardin. Observou-se posicionamentos favoráveis e contrários à RPB e falta de clareza quanto à sua proposta; reconhecimento da qualidade e satisfação quanto ao cuidado oferecido pelo CAPS; fragilidades no cuidado oferecido pelo CAPS; falta de apoio da gestão executiva e sugestões para melhoria. Conclui-se que o CAPS é tido como instituição complementar ao cuidado em saúde mental, sendo posto como mais adequado e satisfatório, pelas ações pautadas na humanização, no acolhimento e no apoio. A valorização da cultura biomédica evidenciada pelos familiares e a falta de aderência dos usuários ainda são barreiras que precisam ser ultrapassadas para a prestação de um cuidado proposto pelos moldes dos CAPS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Vasconcelos dos Santos, Universidade Federal da Bahia

Bacharel em Enfermagem

Tarcísia Castro Alves, 2Professora na Universidade Federal da Bahia

Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Grupo Núcleo de estudos sobre distúrbios psiquiátricos: assistência e pesquisa (NUDPAS/USP); Transversões - Saúde mental, desinstitucionalização e abordagens psicossociais (UFRJ); Grupo de Estudos em Álcool e outras drogas (USP).

Referências

AMARANTE, P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2007.

BOFF, C. M. Reflexões acerca das Oficinas: uma experiência em Oficina de Música no CAPS Cais Mental Centro. In: Salão de Iniciação Científica (22.: 2010 out. 18-22: Porto Alegre, RS). Livro de resumos. Porto Alegre: UFRGS, 2010. Disponível em:<http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/44896/Resumo_6438.pdf?sequence=1>. Acesso em: 06 dez. 2017.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente: Lei federal nº 8069, de 13 de julho de 1990. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 2002.

BRASIL. Estatuto do idoso: Lei federal nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Centro Cultural do Ministério da Saúde. Memória da Loucura. Influências: Esquirol. Disponível em: < http://www.ccs.saude.gov.br/memoria%20da%20loucura/mostra/esquirol.html>. Acesso em: 07 dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM n° 336, de 19 de fevereiro de 2002. Define e estabelece diretrizes para o funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial. Diário Oficial da União 2002; 20 fev.

CAMARA, R. H. Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações gerais. Rev. Interinst. Psicol., v.6, n.2, p.179-191, jul. 2013. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202013000200003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 13 jul. 2018.

CANDIDO, M. R. et al. Conceitos e preconceitos sobre transtornos mentais: um debate necessário. SMAD, Rev Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.), Ribeirão Preto, v.8, n.3, p.110-117, dez. 2012. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-69762012000300002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 15 jul. 2018.

COIMBRA, V. C. C.; KANTORKI, L. P. O acolhimento em centro de atenção psicossocial. Rev enferm UERJ, v.13, n.1, p.57-62, 2005. Disponível em: ww.facenf.uerj.br/v13n1/v13n1a09.pdf Acesso em: 17 jul 2018.

COELHO, R. S.; VELÔSO, T. M. G.; BARROS, S. M. M. Oficinas com usuários de saúde mental: a família como tema de reflexão. Psicologia: Ciência e Profissão, v.37, n.2, p.489-499, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-3703002612015. Acesso em: 15 Jul. 2018.

DOS SANTOS, P. N.; DOS SANTOS, M. C. O Centro de atenção psicossocial (CAPS) como alternativa de atuação do pedagogo: relato de uma experiência. Sistema Educere. XIII EDUCERE, IV SIRSSE, VI SIPD – Cátedra UNESCO. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/24710_11958.pdf. Acesso em: 13 jul. 2018.

FONTE, E. Da institucionalização da loucura à reforma psiquiátrica: as sete vidas da agenda pública em saúde mental no brasil. Estudos de Sociologia, 1, mar. 2013. Disponível em: <http://www.revista.ufpe.br/revsocio/index.php/revista/article/view/60/48>. Acesso em: 06 Dez. 2017.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. To. Métodos de pesquisa. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

HECK, R. M. et al. Gestão e saúde mental: percepções a partir de um centro de atenção psicossocial. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v.17, n.4, p.647-655, Dec. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 19 Jul. 2018.

JORGE, M. S. B. et al. Promoção da Saúde Mental - Tecnologias do Cuidado: vínculo, acolhimento, co-responsabilização e autonomia. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.16, n.7, p.3051-3060, July 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000800005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 16 Jul. 2018.

KANTORSKI, L. P. et al. A importância das atividades de suporte terapêutico para o cuidado em um Centro de Atenção. Rev. enferm. Saúde, v.1, n.1, p.4-13, 2011. Disponível em: <https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/3401>. Acesso em: 16 Jul. 2018.

LEAL, B. M.; ANTONI, C de. Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS): estruturação, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Aletheia, Canoas, n.40, p.87-101, abr. 2013. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942013000100008&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 15 jul. 2018.

LEVY, V. L. D. S. Oficinas terapêuticas e produção de vínculo em CAPS AD. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 1984-2147, Florianópolis, v.8, n.19, p.97-106, 2016. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/viewFile/3364/4672. Acesso em: 16 Jul. 2018.

MACEDO, F. M. S.; ANDRADE, M.; SILVA, J. L. L. A reforma psiquiátrica e implicações para a família: o papel do enfermeiro no programa saúde da família. Informe-se em promoção da saúde, v.5, n.2, p.19-23, 2009. Disponível em: < http://www.uff.br/promocaodasaude/reforma%20psiquiatrica7.pdf>. Acesso em: 14 Jul. 2018.

MARTINHAGO, Fernanda; OLIVEIRA, Walter Ferreira de. A prática profissional nos Centros de Atenção Psicossocial II (caps II), na perspectiva dos profissionais de saúde mental de Santa Catarina. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 36, n.95, p.583-594, Dec. 2012 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010311042012000400010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 06 Dez. 2017.

MIELKE, F. B. et al. A inclusão da família na atenção psicossocial: uma reflexão. Rev. Eletr. Enf, v.12, n.4, 761-5, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i4.6812. Acesso em: 18 Jul. 2018.

OLIVEIRA, T. M. V. de. Amostragem não Probabilística: Adequação de Situações para uso e Limitações de amostras por Conveniência, Julgamento e Quotas. Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado. Administração On Line, v.2, n.3, 2001. Disponível em: https://pesquisa-eaesp.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/arquivos/veludo_-_amostragem_nao_probabilistica_adequacao_de_situacoes_para_uso_e_limitacoes_de_amostras_por_conveniencia.pdf. Acesso em: 18 Jul. 2018.

OLIVEIRA, E. C. et al. O cuidado em saúde mental no território: concepções de profissionais da atenção básica. Esc Anna Nery, v.21, n.3, p.e20160040, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v21n3/pt_1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2017-0040.pdf. Acesso em 14 jul. 2018.

PEGORARO, R. F.; CALDANA, R. H. L. Mulheres, loucura e cuidado: a condição da mulher na provisão e demanda por cuidados em saúde mental. Saude soc., São Paulo, v.17, n.2, p.82-94, June 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902008000200009&lng=en&nrm=iso. Acesso em 07 Out. 2018.

PEREIRA, S. S. et al. Visita domiciliar aos pacientes portadores de transtorno mental: ampliando as opções terapêuticas possíveis em um serviço ambulatorial. Saúde Transform. Soc., Florianopolis, v.5, n.1, p.91-95, 2014. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2178-70852014000100014&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 15 jul. 2018.

RANDEMARK, N. F. R. et al. A reforma psiquiátrica no olhar das famílias. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v.13, n.4, p.543-550, Dec. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072004000400006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 13 Jul. 2018.

RODRIGUES, A.; PALMA, D. L. A Influência da inclusão da família no processo terapêutico de pacientes com transtornos mentais atendidos pelo centro de atenção psicossocial em uma cidade do meio-oeste catarinense. 2015. 20 p. Especialização – UNIEDU, Santa Catarina, 2015. Disponível em: <http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2015/01/Artigo-Aline-Rodrigues1.pdf>. Acesso em: 06 dez. 2017.

SANTIN, G.; KLAFKE, T. E. A família e o cuidado em saúde mental. Revista Barbarói, Santa Cruz do Sul, Editora: Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), n. 34, jan/jul. 2011. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/1643/1567>. Acesso em: 06 dez. 2017.

SALLES, M. M.; BARROS, S. Transformações na atenção em saúde mental e na vida cotidiana de usuários: do hospital psiquiátrico ao Centro de Atenção Psicossocial. Saúde debate, Rio de Janeiro, v.37, n.97, p.324-335, June 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042013000200014&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 18 Jul. 2018.

SCHRANK, G.; OLSCHOWSKY, A. O centro de Atenção Psicossocial e as estratégias para inserção da família. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v.42, n.1, p.127-134, Mar.2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342008000100017&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 17 Jul. 2018.

TENORIO, F. A reforma psiquiátrica brasileira, da década de 1980 aos dias atuais: história e conceitos. Hist. cienc. saude-Manguinhos, v.9, n.1, p.25-59, Apr. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010459702002000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 06 Dez. 2017.

TREICHEL, C. A. dos S. et al. Satisfação de familiares de usuários de Centros de Atenção Psicossocial: informações sobre doença e tratamento. J Nurs Health, v.6, n.3, p.414-22, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/5955/6919. Acesso em: 17 Jul. 2018.

ZANELLA, M. et al. Medicalização e saúde mental: Estratégias alternativas. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, n.15, p.53-62, jun. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1647-21602016000100008&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 16 jul. 2018.

Publicado
2021-12-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 39
  • PDF (English) downloads: 19
Como Citar
Santos, M. V. dos, & Alves, T. C. (2021). A PERCEPÇÃO FAMILIAR ACERCA DA ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL PRESTADA POR UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL II. Cenas Educacionais, 4, e11826. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11826
Seção
Artigos (Fluxo Contínuo)