ALTAS HABILIDADES OU SUPERDOTAÇÃO COM PARALISIA CEREBRAL: INDICAÇÃO DE AUSÊNCIA LITERÁRIA

Palavras-chave: Dupla excepcionalidade, Paralisia cerebral, Ausência literária, Mitos

Resumo

Ao observamos a história das pessoas com deficiência podemos constatar como esses indivíduos sofreram com a exclusão ao longo do tempo. No século XXI, percebemos que essa realidade não é diferente, eles continuam lutando a fim de que a sociedade os enxergue além da deficiência e para que possam reconhecer os seus talentos. Sendo assim, este trabalho tem o intuito de fazer uma reflexão a respeito da Dupla Excepcionalidade com a Paralisia Cerebral. Para isso, em primeiro lugar, são apresentados os conceitos envolvidos com o objetivo de trazer o conhecimento e mudar o olhar sobre os alunos que tenham tal deficiência. A partir deste contexto, o trabalho também tem como prerrogativa fazer um levantamento literário nas bases Scielo (Scientifique Eletronic Library Online), Periódicos CAPES e BVS (Base Virtual em Saúde) no período de 15 anos (2005 – 2020). Com os resultados obtidos, nos deparamos com uma ausência de literatura em relação às altas habilidades ou superdotação no que concerne ao indivíduo com paralisia cerebral. Observa-se ao longo do presente artigo que o motriz para essa ausência é a falta de conhecimento sobre o tema, o preconceito que foi culturalmente inserido na sociedade e os mitos que dificultam o diagnóstico certeiro e a identificação de uma pessoa com dupla excepcionalidade pela descrença na possibilidade de que um indivíduo com paralisia cerebral também tenha altas habilidades ou superdotação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivani da Silva Soares, Mestranda em Diversidade e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense - Brasil

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Membro do grupo de pesquisa em Ciência e Aplicações.

Thiago Correa Lacerda, Docente no Programa de Pós-graduação em Diversidade e Inclusão da Universidade Federal Fluminense - Brasil

Doutor em Física pela Universidade Federal Fluminense. Docente no Instituto Federal do Rio de Janeiro. Membro do grupo de pesquisa em Ciência e Aplicações.

Ana Carolyna Cerqueira Alves, Mestranda em Diversidade e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense - Brasil

Membro do grupo de pesquisa em Ciência e Aplicações.

Referências

ALEVA, Natanael Atilas.Guia dos direitos da pessoa com deficiência. Natanael Atilas Aleva, Girlaine Figueiró. -- Belo Horizonte: Faculdade Promove, 2015. 18 f.: Il. 30 cm.

ALENCAR, M. L. S.; FLEITH, D. S. Superdotados: determinantes, educação e ajustamento. 2. ed. São Paulo: EPU, 2001.

BRASIL, Resolução CNE/CEB 4/2009. Diário Oficial da União, Brasília, 5 de outubro de2009. Disponível em: . Acessoem: 25/04/2021

COSTA, M. de P. R. da; RANGNI, R. de A. Altas habilidades/superdotação e deficiência: dupla necessidade educacional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 5, n. 2, p. 208–217, 2011. DOI: 10.21723/riaee.v5i2.3484. Disponível em:https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/3484. Acesso em: 23 abr. 2021.

CARVALHO, LuisOsete Ribeiro. DUARTE, Francisco Ricardo. MENEZES, Afonso Henrique Novaes. SOUZA Tito Eugenio Santos [et al].- Petrolina-PE,2019. 83p.: 20cm. 1 Livro digital.

DAWSON, G., & D’Souza, S. Behavioural Interventions to Remediate Learning Disorders: A technical report (2015), Centre for Brain Research and School of Psychology, The University of Auckland / Macquarie University Special Education Centre briefings - located at http://figshare.com/articles/MUSEC_Briefings_Archive/5096455 Acesso 19/04/2021 18:46
de Araújo Rangni, Rosemeire; Resende da Costa, Maria da Piedade Altas habilidades/superdotação e deficiência: reflexões sobre o duplo estigma Educar em Revista, núm. 53, julio-septiembre, 2014, pp. 187-199 Universidade Federal do Paraná. Paraná, Brasil

DELOU, Cristina Mª Carvalho. O papel da família no desenvolvimento das AltasHabilidades/Superdotação. In: FLEITH, D. (Org.). A Construção de Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades / Superdotação. Volume 3: O Aluno e a Família. Brasília, 2007.

GIANNI. M. A. C. Paralisia Cerebral: Aspectos clínicos. In: MOURA et al. (Org.). Fisioterapia: aspectos clínicos e práticos da reabilitação. 2 ed. São Paulo: Artes Médicas, 2010.

LANDAU, E. A coragem de ser superdotado. Tradução: Sandra Miessa. São
Paulo: Arte & Ciência, 2002.

NEVES, Libéria Rodrigues. Contribuições da arte ao atendimento educacional especializado e a inclusão escolar. Ver.bras.educ. espec. 2017, Vol 23, n.4pp. 489-504.ISSN 1980-5470.

PRIOR, S. (2013). Transição e alunos com dupla excepcionalidade. AustralasianJounalofSpecialEducation, 37(10, 19-27. Doi: 10.1017/Jse.2013.3

QUEIROZ, F.M.M, BRACCIALLI, L.M. P. Relação entre o perfil funcional, função motora grossa e habilidade manual dos alunos com paralisia cerebral. Revista Educação Especial/ V.29/ n. 54/p.95-108/ jan/abr. 2016.

RENZULLI, J. S. A concepção de superdotação no modelo dos três anéis: um modelo de desenvolvimento para a promoção da produtividade criativa.2014 In.
RENZULLI, J. S. What makes giftedness? Re-examining a definition. Phi Delta Kappan, 60,180-184, 261, 1978.

RECH, A. J. D.; FREITAS, S. N. Uma revisão bibliográfica sobre os mitos que envolvem as pessoas com altas habilidades. In: FREITAS, S. N. (Org.). Educação e altas habilidades/superdotação: a ousadia de rever conceitos e práticas. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2006.

VIRGOLIM, A. M. R.; KONKIEWITZ, E. C, (Org.).Altashabilidades/superdotação,inteligência e criatividade: uma visão multidisciplinar. Campinas, SP: Papirus.2014, p. 219-264.
Publicado
2021-05-31
Métricas
  • Visualizações do Artigo 215
  • ♪Áudio♪ downloads: 3
Como Citar
Soares, I. da S., Lacerda, T. C., & Alves, A. C. C. (2021). ALTAS HABILIDADES OU SUPERDOTAÇÃO COM PARALISIA CEREBRAL: INDICAÇÃO DE AUSÊNCIA LITERÁRIA. Cenas Educacionais, 4, e11752. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11752
Seção
Dossiê Temático