RELAÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM ESTUDO ALTERNATIVO

Palavras-chave: Formação de professores, Práticas docentes na EJA, Relações de gênero

Resumo

As diferentes problemáticas relativas às questões de gênero desafiam a escola em seu objetivo de formação de pessoas sensíveis e abertas à convivência com a diversidade.  Tal demanda se torna mais urgente ao se tratar da Educação de Jovens e Adultos. Com este estudo buscou-se investigar como a formação continuada de professores e professoras que atuam na educação básica propicia conhecimentos capazes de problematizar o (re)conhecimento de 20 mulheres estudantes em situação de vulnerabilidade social, a fim de que as ações docentes contribuam para torná-las  mais conscientes  dos papéis de gênero para que produzam um saber reflexivo capaz de detectar situações de violências domésticas no meio em que estão inseridas.  Sendo assim, este é um estudo de cunho qualitativo de revisão narrativa da literatura e constitui-se de análise da literatura publicada em livros e artigos de revistas impressas e eletrônicas. O estudo está estruturado em duas seções: na primeira, apresentamos uma aproximação ao referencial teórico que dá suporte à pesquisa para discutirmos gênero como elemento constitutivo das relações sociais. Na segunda seção apresentamos discussões fundamentadas, principalmente, nas narrativas de egressas da EJA. Assim, compreendemos que o controle sobre o corpo das mulheres se processa de forma naturalizada, portanto, como ação cultural em que os papéis de gênero são estereotipados e forjados para atender a demandas construídas socialmente daquilo que homens e mulheres podem ou não fazer para manter a ordem social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adelice Pereira de Jesus, Professora na Rede Municipal de Educação de Guanambi - Brasil

Mestra em Ensino, Linguagem e Sociedade pela Universidade do Estado da Bahia

Kleonara Santos Oliveira, Doutoranda em Neurociências pela Universidade Federal de Minas Gerais - Brasil

Mestra em Ensino, Linguagem e Sociedade pela Universidade do Estado da Bahia. Professora na Universidade do Estado da Bahia. Integrante do Núcleo Internacional de Estudos em Direitos Humanos, Educação, Cultura e Saúde. 

Edilane de Jesus Gomes, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Mestra em Ensino Linguagens e Sociedade. Integrante do grupo de pesquisa Laboratório de Estudo do Audiovisual e do Discurso.

Maria Lúcia Porto da Silva Nogueira, Docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade da Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Doutora em História Social pela Universidade do Estado de São Paulo. Integrante do Grupo de Pesquisa DisSE e Grupo de Pesquisa Cultura, Sociedade e Linguagem

Referências

ARROYO, Miguel. A educação de jovens e adultos em tempos de exclusão. Alfabetização e Cidadania, São Paulo, RAAB, n.11, p.9-20, abr. 2001.

ARROYO, Miguel. Juventude, produção cultural e Educação de Jovens e Adultos. In: Leôncio (org.) Diálogos na Educação de Jovens e Adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

ARROYO, Miguel. Profissão de mestre. São Paulo: Cortez, 2004.

BIBLÍA. Edição pastoral. Gênesis. Tradução de José Luiz Gonzaga do Prado. São Paulo: Paulus, 1990.

BONDIA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ. n.19, p.20-28, 2002.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

TOLEDO, Paulo de Tarso Gasparelli de. O processo de formação de professores/as para a educação de jovens e adultos no curso de estudos adicionais do Instituto de Educação do Rio de Janeiro. [s.l.], 1998. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal Fluminense.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura – Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais, 1998.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Versão Final. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

COSTA, Elisabete; ÁLVARES, Sonia Carbonell; BARRETO, Vera. Alunos e Alunas da EJA. Trabalho com educação de jovens e adultos. Brasília, 2006.

CUNHA, Maria Isabel da. O tema da formação de professores: trajetórias e tendências do campo na pesquisa e na ação. Educação e Pesquisa. v.39, n.3, p.609-625, 2013.

DIAS, Alfrancio Ferreira. Representações sociais de Gênero no trabalho docente: sentidos e significados atribuídos ao trabalho e a qualificação. Vitória da Conquista: EDUESB, 2014.

DINIS, Nilson Fernandes. Educação, relações de gênero e diversidade sexual. Educação e Sociedade. v.29, n.103, p.477-492, 2008.

FERNANDES, Cleudemar Alves. Análise do discurso: Reflexões introdutórias. São Carlos: Claraluz, 2008. 2ª ed. 112p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FOUCAULT, Michel. Michel Foucault et L’Iran. In: DEFERT. D.; EWAL, F.; LAGRANGE, J. (Eds). Dits et Écrits II 1976-1988. Paris: Gallimard Quarto, 2001.

FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FURTADO, E. D. P. Educação de Jovens e Adultos: práticas pedagógicas na formação de educadores e educadoras no Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária. Anais do Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Recife: ENDIPE, 2006.

GEIGER, L. Aprendendo a ser mulher: contribuições de uma educação holística por meio de círculos femininos tenda da Terra e tenda da Lua. 2014. 65 f. Dissertação de mestrado (Programa de pós-graduação) - da Faculdade de Educação da Pontifícia. Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/5807

HADDAD, Sérgio. A Educação De Jovens E Adultos E A Nova L.D.B. In: BRZEZINSKI, I. (org.). LDB interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo, Cortez, 1997a, p.106-122.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a Educação como prática de liberdade. Tradução de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2013.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

KRAMER, H. SPRENGER, J. O martelo das Bruxas. Malleus maleficarum. Tradução de Paulo Frós. 20. ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos. 2009.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho – ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pósestruturalista. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

NORONHA, Daisy Pires; FERREIRA, Sueli Mara S. P. Revisões de literatura. In: CAMPELLO, Bernadete Santos; CONDÓN, Beatriz Valadares; KREMER, Jeannette Marguerite (orgs.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

PERRENOUD, Philippe. Pedagogia Diferenciada: das intenções à ação. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade. v.20, n.2, 1990.

SOIHET, Rachel. Violência simbólica: saberes masculinos e representações femininas. Estudos Feministas, v.5, n.1, 1997.

SCHÖN, Donald. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

ZOHAR, Anat. Connected Knowledge in Science and Mathematics Education. International Journal of Science Education. Londres, 2006.

Publicado
2022-03-09
Métricas
  • Visualizações do Artigo 146
  • ♪Áudio do resumo♪ downloads: 4
Como Citar
Jesus, A. P. de, Oliveira, K. S., Gomes, E. de J., & Nogueira, M. L. P. da S. (2022). RELAÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM ESTUDO ALTERNATIVO. Cenas Educacionais, 5, e11472. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11472
Seção
Dossiê temático - INTERSECCIONALIDADES ÉTNICO-RACIAIS, DE GÊNERO E RELAÇÃO COM O