GÊNERO, EDUCAÇÃO E METODOLOGIAS FEMINISTAS

Palavras-chave: Gênero, Metodologias feministas, Educação, Semiárido

Resumo

Este artigo parte da problematização em torno da abordagem das temáticas de gênero em pesquisas científicas na área da educação, ancorando-se, para tanto, na análise das metodologias de cunho feminista, por meio da apresentação de duas pesquisas desenvolvidas no Vale do São Francisco, por mestrandas do Programa de Pós-Graduação - Mestrado em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos. As análises aqui suscitadas fundamentam e reforçam a necessidade de ampliação da adoção desse tipo de procedimento metodológico, visando a construção de conhecimento de modo diversificado e inclusivo, para romper com as invisibilidades e silenciamentos de gênero, racismo e classe social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Conceição da Silva Paiva, Docente no Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos da Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Doutora em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas. Pesquisadora do grupo Educação, Sociedade e Desenvolvimento.

Raiane Barboza de Sousa, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Mestra em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos pela Universidade do Estado da Bahia. Pesquisadora do grupo Educação, Sociedade e Desenvolvimento

Erika Jane Ribeiro, Professora na Rede Estadual de Ensino de Pernambuco - Brasil

Mestra em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos pela Universidade do Estado da Bahia. Pesquisadora do grupo Educação, Sociedade e Desenvolvimento. Membro-coordenadora do grupo de escritoras do Vale do São Francisco Vozes-mulheres: além das margens.

Referências

ALBERTI, V. Ouvir Contar: textos em história oral. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2004.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, D. M. Nordestino: uma invenção do falo – Uma história do gênero masculino (Nordeste – 1920/1940). Maceió: Edições Catavento, 2003. 256p.

BEAUVOIR, S. O Segundo Sexo. 2ª ed. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1967. Tradução de Sérgio Milliet.

BIROLI, F. Gênero e Desigualdades: os limites da democracia no Brasil. 1ª ed. São Paulo: Boitempo, 2018.

CHANTLER, K; BURNS, D. Metodologias Feministas. In: SOMEKH, Bridget; LEWIN, Cathy. (Orgs.). Teorias e métodos da pesquisa social. Petrópolis: Vozes, 2015.

CLANCE, P. R.; IMES, S. The Imposter Phenomenon in High Achieving Women: Dynamics and Therapeutic Intervention. In: Revista Psychotherapy Theory, Research and Practice. Volume 15, 1978. Disponível em: https://mpowir.org/wp-content/uploads/2010/02/Download-IP-in-High-AchievingWomen.pdf. Acesso em 12 set. 2019.

CRENSHAW, K. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, 1º semestre de 2002. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/26366613_. Acessado em 10 de mar 2020.

DUARTE, J. Entrevista em profundidade. In: DUARTE, Jorge e BARROS, Antonio (Org.). Métodos e Técnicas de Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

EMBRAPA. Novas uvas desenvolvidas especialmente para o semiárido brasileiro. Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Abril de 2019. Disponível: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/42949666/novas-uvas-desenvolvidas-especialmente-para-o-semiarido-brasileiro. Acessado em 15 de jan 2020.

FASE-PE. Diagnósticos Locais e Cartografia Social Fase-PE, 2019. Arquivo em pdf.

FRANCHINI, B. S. O que são as ondas do feminismo? Revista QG Feminista, 2017. Disponível em https://medium.com/qg-feminista/o-que-s%C3%A3o-as-ondas-do-feminismoeeed092dae3a. Acesso em 02 Mar. 2019.

GOVERNO FEDERAL. LEI Nº 9.799. Maio, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9799.htm. Acessado em 10 de jan 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação. Uma perspectiva pós - estruturalista. 6ª ed. Petrópolis: Editora Vozes Ltda, 1997.

LONGINO, H. Epistemologia Feminista. In: GRECO, J.; SOSA, E. Compêndio de Epistemologia. Tradutores Alessandra Siedschlag Fernandes e Rogério Bettoni. São Paulo: Loyola, 2012.

MEYER, D. E. et al. Vulnerabilidade, gênero e políticas sociais: a feminização da inclusão social. Revista Estudos Feministas, v. 22, p. 885-904, 2014. Disponível: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/36751. Acessado em 7 de jan 2020.

NEVES, S.; NOGUEIRA, C. Metodologias feministas: a reflexividade ao serviço da investigação nas Ciências Sociais. Psicologia: Reflexão e crítica, v.18, n.3, p. 408-412, 2005.

PAIVA, C. C. da S.; BARROS, E. da R. Gênero, Sexualidade e Educação Contextualizada para a Convivência com o Semiárido: reflexões e desafios. In: BARROS, Edonilce da Rocha e PAIVA, Carla Conceição da Silva (Org.). Paradigma Cultural II: gênero, educação, trabalho e etnias. Curitiba: CRV, 2017.

PEDRO, J. M. Corpo, Prazer e Trabalho. In: BASSANEZI, Carla e PEDRO, Joana Maria (Org.). Nova História das Mulheres. São Paulo: Contexto, 2012.

PEDRO. J. M. Meu corpo, minhas regras. Revista de História da Biblioteca Nacional, v.10, n.113, Fevereiro, 2015.

RIBEIRO, D. O que é lugar de fala?. Belo Horizonte (MG): Letramento: Justificando, 2017.

RIBEIRO, E. J. Vozes femininas na poesia contemporânea: Letramentos de reexistência no Vale do São Francisco. Dissertação de mestrado, Educação, Cultura e Territórios semiáridos, UNEB, 2020.

SARDENBERG, C. M. B. e MACEDO, M. S. Relações de Gênero: uma breve introdução ao tema. In: COSTA, Ana Alice Alcantara; TEIXEIRA, Alexnaldo e VANIN, Iole Macedo (Org.). Ensino e Gênero: Perspectivas Transversais. Salvador: UFBA - NEIM, 2011. 247 p.

SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DE PERNAMBUCO. Programa Chapéu de Palha. 2018. Disponível em: https://www.seplag.pe.gov.br/?option=com_content&view=article&id=51. Acessado em 10 de jan de 2020.

SECRETARIA DA MULHER DE PERNAMBUCO. Mulheres Semeando Cidadania: caderno de políticas públicas. Secretaria da Mulher; org. e texto Cristina Buarque, Maria de Oliveira e Celma Tavares. 2ª Edição revisada – Recife: Secretaria da Mulher, 2009.

SECRETARIA DA MULHER DE PERNAMBUCO. Gerai. Série Histórica do Chapéu de Palha Mulher, 2017. Disponível em: http://www.portaisgoverno.pe.gov.br/c/document_library/get_file?uuid=ec329bde-192d-4823-8c08-9509f9487196&groupId=30863. Acessado em 5 de jan 2020.

SEVALHO, G. O conceito de vulnerabilidade e a educação em saúde fundamentada em Paulo Freire. Interface: comunicação Saúde Educação, v.22, n.64, p.177-188, 2018. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/icse/2017nahead/1807-5762-icse-1807-576220160822.pdf. Acessado em 6 de jan 2020.

SOUSA, R. B. Processos Formativos das Trabalhadoras da Fruticultura Irrigada no Programa Chapéu de Palha Mulher (PETROLINA-PE). Dissertação de mestrado, Educação, Cultura e Territórios semiáridos, UNEB, 2020.

SCOTT, J. W. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, 1995. Disponível em https://archive.org/details/scott_gender. Acessado em 10 mar 2020.

SCHOSTAK, J. e BARBOUR, R. Entrevista e grupos-alvo. In: SOMEKH, Bridget e LEWIN Cathy (Org.). Teoria e métodos de pesquisa social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

Publicado
2021-06-09
Métricas
  • Visualizações do Artigo 259
  • ♪Áudio♪ downloads: 7
Como Citar
Paiva, C. C. da S., Sousa, R. B. de, & Ribeiro, E. J. (2021). GÊNERO, EDUCAÇÃO E METODOLOGIAS FEMINISTAS. Cenas Educacionais, 4, e11421. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11421
Seção
Dossiê Temático