Revista Baiana de Educação Matemática https://www.revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica <p>A&nbsp;<strong>Revista Baiana de Educação Matemática</strong> (<strong>e-ISSN</strong>: 2675-5246/<strong>Prefixo DOI</strong>: 10.47207) iniciou as suas atividades editoriais em 2020 e cumpre com a função de divulgar trabalhos que têm como foco o professor que ensina Matemática, sua formação, a realidade e cultura escolar e o ensino e aprendizagem dessa ciência. É uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos (PPGESA), vinculado à Universidade do Estado da Bahia (UNEB),&nbsp;<em>Campus </em>III, em parceria com o <em>Campus&nbsp;</em>VII da mesma universidade e com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), <em>Campus </em>Santa Maria da Boa Vista/PE. A revista não cobra nenhuma taxa de processamento de artigos (Article Processing Charge - APC) e publica em fluxo contínuo (rolling pass).&nbsp;</p> <p>A <strong>Revista Baiana de Educação Matemática</strong> encontra-se indexada em:&nbsp;<a href="https://scholar.google.com.br/citations?view_op=list_works&amp;hl=pt-BR&amp;authuser=1&amp;user=MPfEr2gAAAAJ&amp;gmla=AJsN-F4TDL1CelN9iebTnIgL-JNsxLH7QtoMD_Rdhyoh2cYrUolc4rDy-Bqzjt_JH65idADDIWJcckmQQpnHTAF0V6eXNWIhkh1rFG0JvjTJ1co65lB5-ic" target="_blank" rel="noopener">Google Scholar&nbsp;</a>|&nbsp;<a href="https://www.sumarios.org/revista/revista-baiana-de-educa%C3%A7%C3%A3o-matem%C3%A1tica-rbem" target="_blank" rel="noopener">Sumários</a>&nbsp;|&nbsp;<a href="http://journalseeker.researchbib.com/view/issn/2675-5246" target="_blank" rel="noopener">ResearchBib</a>|&nbsp;<a href="http://www.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre" target="_self">Revistas de Livre Acesso</a>|<a href="https://www.isindexing.com/isi/journaldetails.php?id=14172" target="_blank" rel="noopener">Internacional Scientific Indexing&nbsp;</a>|&nbsp;<a href="http://index.pkp.sfu.ca/index.php/browse/index/9029" target="_blank" rel="noopener">PKP Index</a>|&nbsp;<a href="https://www.abecbrasil.org.br/novo/" target="_blank" rel="noopener">ABEC BRASIL</a>|&nbsp;<a href="http://esjindex.org/search.php?id=4566" target="_blank" rel="noopener">Eurasian Scientific Journal Index</a>|&nbsp;<a href="http://olddrji.lbp.world/JournalProfile.aspx?jid=2675-5246" target="_blank" rel="noopener">Directory of Research Journals Indexing</a>|&nbsp;<a href="https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=29606" target="_blank" rel="noopener">Latindex</a>|&nbsp;<a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/2770" target="_blank" rel="noopener">Diadorim</a>|&nbsp;<a href="https://journals.indexcopernicus.com/search/details?id=66876" target="_blank" rel="noopener">Index Copernicus Internacional</a>|<a href="https://www.crossref.org/" target="_blank" rel="noopener">Crossref</a>|<a href="https://www.doi.org/" target="_blank" rel="noopener">Digital Object Identifier (DOI)</a>|<a href="https://doaj.org/toc/2675-5246?source=%7B%22query%22%3A%7B%22filtered%22%3A%7B%22filter%22%3A%7B%22bool%22%3A%7B%22must%22%3A%5B%7B%22terms%22%3A%7B%22index.issn.exact%22%3A%5B%222675-5246%22%5D%7D%7D%2C%7B%22term%22%3A%7B%22_type%22%3A%22article%22%7D%7D%5D%7D%7D%2C%22query%22%3A%7B%22match_all%22%3A%7B%7D%7D%7D%7D%2C%22size%22%3A100%2C%22_source%22%3A%7B%7D%7D" target="_blank" rel="noopener">DOAJ</a>|<a href="https://latinrev.flacso.org.ar/revistas/revista-baiana-educacao-matematica" target="_blank" rel="noopener">LatinREV</a>| <a href="https://www.citefactor.org/journal/index/26192/bahia-journal-of-mathematical-education#.YBmq8ehKjDc" target="_blank" rel="noopener">CiteFactor</a>|<a href="https://isindexing.com/isi/journaldetails.php?id=14172" target="_blank" rel="noopener">International Scientific Indexing(ISI)</a></p> Universidade do Estado da Bahia pt-BR Revista Baiana de Educação Matemática 2675-5246 <p>Uma nova publicação de artigo anteriormente publicado na&nbsp;<em>Revista Baiana de Educação Matemática</em>, fica sujeita à expressa menção da precedência de sua publicação neste periódico, seguindo as normas de referência. Autores que publicam na RBEM concordam com os seguintes termos:</p> <div class="member"> <ul> <li class="show"> <p>O Conselho Editorial se reserva ao direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, sintática, ortográfica e bibliográfica com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores. As provas finais poderão ou não ser enviadas aos autores.</p> </li> <li class="show"> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<em>Licença Creative Commons Attribution&nbsp;</em>(<a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/deed.pt_BR" target="_blank" rel="noopener">CC BY-NC-SA</a>).</p> </li> <li class="show"> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, exemplo: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro, com reconhecimento de autoria e publicação inicial na RBEM.</p> </li> <li class="show"> <p>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online — em repositórios institucionais, página pessoal, rede social ou demais sites de divulgação científica.</p> </li> </ul> </div> A Matemática Financeira no Ensino Médio Brasileiro: perspectivas para formação de indivíduos críticos https://www.revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13232 <p>Segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é imperativo formar cidadãos mais ativos, críticos, analíticos e que sejam capazes de modificar o ambiente no qual estão inseridos. O ensino da Matemática Financeira aos estudantes do Ensino Médio não foge a essa regra e é conhecimento fundamental a qualquer indivíduo. Assim, para entender a importância da Matemática Financeira buscou-se compreender como a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) definida pelo Governo Federal, a BNCC e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB) interagem para promover o desenvolvimento destes cidadãos mais críticos e participativos na sociedade. Através de uma pesquisa qualitativa, baseada em revisão de literatura e documental buscou-se identificar os pontos convergentes e discrepantes entre estas três diretrizes legais e a formação de cidadão efetivamente críticos. Concluiu-se que a base legal para educação no Brasil proporciona às escolas esta opção. No Ensino Médio, particularmente, isso ocorre atualmente através da construção, por parte das escolas, do Projeto de Vida, além do exposto nas diretrizes da BNCC. As pesquisas que subsidiaram as conclusões demonstram que o uso de exemplos reais, práticos e aplicáveis a realidade rotineira dos alunos tem grande efeito para desenvolver o pensamento crítico na Matemática Financeira. Identificou-se também que uma exigência básica aos profissionais deste século é o desenvolvimento de sua criticidade em qualquer área do conhecimento, mas principalmente nas relacionadas e negócios e investimentos financeiros.</p> Adriano Alves de Rezende Angela Silva-Salse Eduardo Carrasco Copyright (c) 2022 Adriano Alves de Rezende, Angela Silva-Salse, Eduardo Carrasco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-01-13 2022-01-13 3 01 e202201 e202201 10.47207/rbem.v3i01.13232 Experimentação Didática para o Desenvolvimento da Aprendizagem Significativa Visando a Compreensão dos Racionais: um estudo baseado em uma pesquisa docente https://www.revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13797 <p>O objetivo desta pesquisa foi desenvolver uma forma atrativa e dinâmica de aprendizagem dos racionais para facilitar a compreensão e assimilação desse conteúdo para estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental. Para este propósito, foi realizado uma pesquisa com 30 professores de Matemática de Instituições públicas e privadas do Norte e Noroeste Fluminense do Estado do Rio de Janeiro, com intuito de obter dados específicos de sucesso para este aprendizado em suas aulas. Nesta Pesquisa Docente, foi constatado ser apropriado conjecturar experimentações fazendo o uso de atividades contextualizadas, jogos e materiais manipulativos, com a intenção de promover o desenvolvimento de uma aprendizagem mais significativa. Neste sentido, para a construção da proposta didática, esta pesquisa se baseou nos dados da Pesquisa Docente supracitada. Foi utilizada a metodologia do tipo qualitativa, tendo em vista a análise da assimilação dos conteúdos pelos discentes a partir da experimentação, averiguando até que ponto esses recursos integrados a proposta didática tornariam a aprendizagem significativa. Os dados foram coletados por meio da aplicação de questionários investigativos, sequência didática e avaliações, além de observações e intervenções pedagógicas. A sequência didática e a coleta de dados foram implementadas em três turmas de 6º ano do Ensino Fundamental do Colégio Estadual Maria Leny Vieira Ferreira Silva, no município de São José de Ubá – RJ. Os resultados foram analisandos à luz da teoria de David Ausubel e mostraram que a experimentação proposta contribuiu significativamente para a ampla compreensão dos racionais, promovendo a autonomia, senso crítico e capacidade argumentativa dos estudantes.</p> Nelson Barbosa Isabela Estephaneli Corty Ribeiro Copyright (c) 2022 Nelson Barbosa, Isabela Estephaneli Corty Ribeiro https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-25 2022-04-25 3 01 e202202 e202202 10.47207/rbem.v3i01.13797 Materiais Didáticos Manipuláveis para o Ensino de Geometria https://www.revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14299 <p>Os conhecimentos geométricos podem ser observados em todos os momentos da nossa vida, seja nos formatos dos pequenos objetos que nos cercam, seja nas grandiosas construções das civilizações humanas. Este fato mostra a importância e a necessidade de incluir seus conteúdos nos espaços escolares de maneira criativa e dinâmica. Para isso, construímos projetos que enfatizam os conhecimentos geométricos com um deles voltados para o ensino de geometria envolvendo materiais didáticos. O projeto foi desenvolvido numa pesquisa durante o Programa de Iniciação Científica (IC) 2019-2020, da Universidade do Estado da Bahia - UNEB no <em>Campus</em> Senhor do Bonfim. Neste artigo apresentamos um recorte desta pesquisa com objetivo de catalogar materiais didáticos manipuláveis que podem auxiliar o professor de matemática que leciona geometria para o sexto ano do Ensino Fundamental. A pesquisa ancora-se na perspectiva da abordagem qualitativa e pautou sua construção na revisão bibliográfica de livros, artigos e laboratórios de matemática e geometria de universidades públicas brasileiras. Os dados coletados foram selecionados, analisados e consolidaram 10 categorias. Como resultados catalogamos 92 materiais didáticos manipuláveis que podem ajudar no ensino de conteúdos geométricos para os anos finais do Ensino Fundamental e, destes, 30 podem ser propostos para o sexto ano.</p> Mirian Ferreira de Brito Vinicíus Christian Correia Copyright (c) 2022 Mirian Ferreira de Brito, Vinicíus Christian Correia https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-07-18 2022-07-18 3 01 e202203 e202203 10.47207/rbem.v3i01.14299 Argumentação em aulas de Probabilidade no Ensino Fundamental: uma proposta utilizando o Peer Instruction (Instrução por Pares) https://www.revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13735 <p>O presente trabalho tem como objetivo principal analisar como a proposta do Peer Instruction (Instrução por Pares) pode contribuir para desenvolver a argumentação em aulas de Probabilidade do 5º ano do Ensino Fundamental. Para tanto, por meio de uma pesquisa qualitativa trazemos uma proposta de utilização de dois jogos digitais sobre probabilidade inseridos na metodologia Peer Instruction. Os resultados dos testes realizados com a proposta demonstraram que os jogos são potencialmente significativos e podem trazer uma nova abordagem da metodologia ativa instrução por pares e favorecer a argumentação na medida que sua interface possibilita a elaboração de conjecturas e justificativas acerca dos conceitos de probabilidade, além de tornar o processo ensino-aprendizagem mais dinâmico.</p> Ewellyn Amâncio Araújo Barbosa Claudia de Oliveira Lozada Jaciara de Abreu Santos Copyright (c) 2022 Ewellyn Amâncio Araújo Barbosa, Claudia de Oliveira Lozada, Jaciara de Abreu Santos https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-08-01 2022-08-01 3 01 e202204 e202204 10.47207/rbem.v3i01.13735