Análise quantitativa dos resultados de uma Sondagem dos estudantes de 6º ano com problemas do Campo Multiplicativo

Palavras-chave: Campo multiplicativo, Resolução de Problemas, Teoria dos Campos Conceituais

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar uma análise quantitativa dos dados de uma avaliação relacionada aos problemas do Campo Multiplicativo fundamentada na Teoria dos Campos Conceituais de Vergnaud, realizada semestralmente pela Rede Municipal de Educação da Cidade de São Paulo, com estudantes do 1o ao 6° ano do Ensino Fundamental. O estudo foca nas análises de invariantes operacionais em resolução de problemas do Campo Multiplicativo e chamavam a atenção para um aspecto da proporcionalidade, em função das dificuldades dos estudantes que estão relacionadas com a Multiplicação Comparativa. Assim este artigo disserta sobre os conceitos centrais de Vergnaud acerca das Estruturas do Campo Multiplicativo. Utilizamos a abordagem quantitativa presente, nos estudos de John W. Cresweell. A amostra do estudo constou na análise de protocolos dos 110 estudantes do 6o ano, com suas respectivas resoluções, tomando por base a grade indicada no documento de sondagens da SME de São Paulo, DOS, cuja descrição é feita no artigo, que tem por aporte a TCC. O trabalho de análise contou com a participação de professores orientadores da Rede de Ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Luiz Ribeiro, Universidade Cruzeiro do Sul

Graduado em Licenciatura Plena de Matemática pela Universidade de Santo Amaro (2009) e Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Nove de Julho (2011), tem experiência de 16 anos como docente no Ensino Fundamental II e Médio na área de Matemática na Rede Pública de São Paulo e mestrando no Programa de Ensino em Ciências e Matemática da Universidade Cruzeiro do Sul (2019).

 
Edda Curi, Universidade Cruzeiro do Sul

Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1968, 1967), Mestrado e Doutorado em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000, 2004). Desde 2005 é professora titular dos Programas de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática e em Ensino de Ciências da Universidade Cruzeiro do Sul. Desde 2012 coordena o Programa de Ensinio de Ciências (mestrado e doutorado- Conceito 6 na CAPES). Coordena Também um Projeto Dinter que se iniciou em 2017 com o Instituto Federal de Minas Gerais- Campus Ouro Preto. 
Coordena ainda o GT1 da SBEM (Sociedade Brasileira de Educação Matemática) e faz parte do CND - Conselho Nacional Executivo dessa sociedade. Em 2016 foi coordenadora da comissão local para organização do XII ENEM- Encontro Nacional de Educação Matemática realizado na Universidade Cruzeiro do Sul e em 2019 foi coordenadora do comitê científico do EBRAPEM realizado na Universidade Cruzeiro do Sul.
Tem experiência na área de Educação Matemática, tanto em sua atuação profissional como na pesquisa com ênfase em Formação de Professores,Ensino e Aprendizagem de Matemática, Currículo, Avaliação. 
Nos últimos anos atuou como assessora para equipes técnicas da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo e Secretaria Municipal de Educação de São Paulo na elaboração de Currículo de Matemática (SME) e de materiais curriculares (SME, SEE) e para o INEP/MEC. 
Atuou como assessora no Núcleo Técnico de Currículo da SME de 2017 a 2019 e, nessa época, coordenou a reformulação para atualização do Currículo de Matemática do Ensino Fundamental e da EJA, em função da BNCC, junto a um GT formado por professores em atuação.Foi leitora crítica do Currículo de Matemática do Ensino Médio da referida Secretaria em 2020. 
Em 2018 passou a ser consultora da UNESCO em um projeto piloto de pesquisa e formação de professores para implementação curricular em parceria com a SME, desenvolvido em 2019, no âmbito do Edital Pro doc que originou vários relatórios de pesquisa.
Atuou em 2018 e 2019 como assessora no Instituto Ayrton Senna e em 2018 na Secretaria Municipal de Teresina, Piauí para reformulação do currículo da referida cidade. 
Participa de comitês científicos de vários periódicos da área.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular: matemática. Brasília: MEC, 2015.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GITIRANA, V.; CAMPOS, T.M.M.; MAGINA, S.; SPINILLO, A. (2014). Repensando Multiplicação e Divisão: Contribuições da Teoria dos Campos Conceituais. - 1. ed. - São Paulo: PROEM.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Currículo da cidade: Ensino Fundamental: Matemática. São Paulo: SME/COPED, 2017.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Orientações didáticas do currículo da cidade: Matemática – volume 1. – 1.ed. – São Paulo: SME/COPED, 2018.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Documento orientador para sondagem de Matemática: Ciclo de Alfabetização e Interdisciplinar – Ensino Fundamental. – São Paulo: SME / COPED, 2018.

SAIZ, I. Dividir com dificuldade ou a dificuldade de dividir. In: PARRA, C.: SAIZ, I. (Org.). Didática da matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. P. 156-185.

VERGNAUD, G. El niño, las matemáticas y la realidad: problemas de la enseñanza de las matemáticas en la escuela primaria. México: Trillas, 1991. VERGNAUD, G. Théorie des Champs Conceptuls. Recherches em Didactique das Mathématiques, Grenoble, 1990.

VERGNAUD, G. A Teoria dos Campos Conceituais. In. BRUN, J. Didáctica das matemáticas. Tradução por Maria José Figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget, 1996. P. 155-191.

VERGNAUD, G. (1994). Multiplicative Conceptual Field: what and why? In: HAREL, G.; CONFREY, J. The development of multiplicative reasonig in the learning of Mathematics. New York: State of New York Press.

VERGNAUD, G. A criança, a matemática e a realidade: problemas do ensino da matemática na escola elementar. Tradução Maria Lucia Faria Moro; revisão técnica Maria Tereza Carneiro Soares. Curitiba: Ed. Da UFPR, 2009.

VERGNAUD, G. Secretaria Municipal de Educação. Orientações curriculares e proposição de expectativas de aprendizagem para o ensino fundamental: ciclo II: Matemática. São Paulo: SME/DOT, 2007.

ZARAN, M. L. O. Uma análise dos procedimentos de resolução de alunos de 5º ano do ensino fundamental em relação à problemas de estruturas multiplicativas. 2013. 172 f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Matemática) -Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2013.

Publicado
2020-09-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 59
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 26
Como Citar
Ribeiro, M. L., & Curi, E. (2020). Análise quantitativa dos resultados de uma Sondagem dos estudantes de 6º ano com problemas do Campo Multiplicativo. Revista Baiana De Educação Matemática, 1, e202009. https://doi.org/10.47207/rbem.v1i.9151