Argumentação em aulas de Probabilidade no Ensino Fundamental: uma proposta utilizando o Peer Instruction (Instrução por Pares)

Palavras-chave: Peer Instruction. Argumentação. Ensino de Probabilidade

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo principal analisar como a proposta do Peer Instruction (Instrução por Pares) pode contribuir para desenvolver a argumentação em aulas de Probabilidade do 5º ano do Ensino Fundamental. Para tanto, por meio de uma pesquisa qualitativa trazemos uma proposta de utilização de dois jogos digitais sobre probabilidade inseridos na metodologia Peer Instruction. Os resultados dos testes realizados com a proposta demonstraram que os jogos são potencialmente significativos e podem trazer uma nova abordagem da metodologia ativa instrução por pares e favorecer a argumentação na medida que sua interface possibilita a elaboração de conjecturas e justificativas acerca dos conceitos de probabilidade, além de tornar o processo ensino-aprendizagem mais dinâmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ewellyn Amâncio Araújo Barbosa, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Mestranda em Ensino de Ciências e Matemática

Claudia de Oliveira Lozada, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutora em educação pela USP. Docente do Instituto de Matemática da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Docente do Programa de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática - UFAL.

Jaciara de Abreu Santos , Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Mestranda em Ensino de Ciências e Matemática.

Referências

BRASIL. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

BATANERO, C. Didáctica de la estadística. Universidade de Granada: Espanha. Disponível em: <http://www.ugrs.es/~batanero>. Acesso em: 06 ago. 2021.

CAMPAGNOLO, R. et al. Uso da abordagem Peer Instruction como metodologia ativa de aprendizagem: um relato de experiência. Revista Signos, v. 35, n. 2, 2014.

CHICON, M. M.; QUARESMA, C. R. T.; GARCÊS, S. B. B. Aplicação do Método de ensino Peer Instruction para o Ensino de Lógica de Programação com acadêmicos do Curso de Ciência da Computação. Disponível em: https://www.upf.br/_uploads/Conteudo/senid/2018-artigos-completos/179081.pdf. Acesso em: 10 jun. 2021.

CORBALÁN, F. Juegos matemáticos para secundaria y bachillerato. Madrid: Editorial Síntesis, 2002.

FERREIRA, E. D.; MOREIRA, F. K. Metodologias ativas de aprendizagem: relatos de experiências no uso do Peer Instruction. In: Colóquio Internacional de Gestão Universitária, 17, 2017, Mar del Plata – Argentina. Universidade Nacional de Mar del Plata/Universidade Federal de Santa Catarina, 2017.

FIELDING-WELLS, J. Inquiry-based argumentation in primary mathematics: reflecting on evidence. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/ED572841.pdf. Acesso em: 28 maio 2021.

FISCHBEIN, E. The intuitive sources of probabilistic thinking in children. Dordrecht: Reidel, 1975.

______. Intuition in science and mathematics. Dordrecht: Reidel, 1987.

AGUILAR JÚNIOR, C. A.; NASSER, L. Analisando justificativas e argumentação matemática de alunos do ensino fundamental. VIDYA, v. 32, n. 2, p. 15, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

LASRY, N. Peer instruction: comparing clickers to flashcards Disponível em: https://arxiv.org/ftp/physics/papers/0702/0702186.pdf. Acesso em: 28 maio 2021.

LEITÃO, S. Processos de construção do conhecimento: a argumentação em foco. Pro-posições, v. 18, n. 3, p. 75-92, 2007.

LUCAS, A. Using peer instruction and i-clickers to enhance student participation in calculus. PRIMUS, v.19, n.3, p219-231, 2009.

MAZUR, E.; SOMERS, M. D. Peer instruction: a user’s manual. Upper Saddle River, N.J. Prentice Hall, 1997.

MAZUR, E. Peer Instruction: a user's manual. Boston: Addison-Wesley, 1997.

NASCIMENTO, J. B. Jogos digitais e probabilidades: uma possibilidade de ensino interdisciplinar. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15216?locale=pt_BR. Acesso em: 20 mar. 2021.

OLIVEIRA, R. R. Probabilidade. Disponível em: <https://mundoeducacao.uol.com.br/matematica/estudo-das-probabilidades.htm > Acesso em: 03 mar. de 2021.

OLIVEIRA JÚNIOR, A. P.; BARBOSA, N. D. O jogo pedagógico “brincando com a probabilidade” para os anos iniciais do ensino fundamental: o espaço amostral. Zetetiké, Campinas, SP, v.28, p. 1-21, 2020.

PIAGET, J.; INHELDER, B. The origin of the idea of chance in children. London: Routledge & Kegan Paul, 1951.

PINTO, D. O. O que é Peer Instruction e como aplicá-la?. Disponível em: <https://blog.lyceum.com.br/o-que-e-peer-instruction/ > Acesso em: 03 mar. 2021.

RICARDO, A. C. K.. O uso de jogos no ensino de probabilidade na educação básica. Disponível em: http://dspace.nead.ufsj.edu.br/trabalhospublicos/handle/123456789/56. Acesso em: 03 mar. 2021.

SILVEIRA, M. R. A. A dificuldade da Matemática no dizer do aluno: ressonâncias de sentido de um discurso. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 3, p. 761-779, set./dez. 2011.

TOUMASIS, C. Peer teaching in mathematics classrooms: a case study. Disponível em: journal.org/Articles/3079AAF8B16D646292732D90B68B2.pdf. Acesso em: 10 abr. 2021.

TULLIS, J.G., GOLDSTONE, R.L. Why does peer instruction benefit student learning? Cognitive Research: Principles and Implications. v. 5, n. 15, p. 1-12, 2020.

Publicado
2022-08-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 56
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 73
Como Citar
Barbosa, E. A. A., Lozada, C. de O., & Santos , J. de A. (2022). Argumentação em aulas de Probabilidade no Ensino Fundamental: uma proposta utilizando o Peer Instruction (Instrução por Pares). Revista Baiana De Educação Matemática, 3(01), e202204. https://doi.org/10.47207/rbem.v3i01.13735