Estágio Curricular Supervisionado no Contexto do Ensino Remoto: análise da visão de futuros professores de Matemática

Palavras-chave: Formação inicial. Ensino de Matemática. Estágio. Covid-19.

Resumo

Tendo em vista os processos formativos de professores em meio ao isolamento social, provocado pela pandemia da COVID-19, podemos voltar nossos olhares sobre como ocorre o desenvolvimento do estágio. Assim, o objetivo do artigo é analisar a visão de futuros professores de matemática sobre a vivência no estágio curricular supervisionado no contexto do ensino remoto. Participaram 13 futuros professores de matemática que estavam no terceiro ano do curso, os quais responderam a duas questões sobre o estágio na forma de ensino remoto. A pesquisa é qualitativa e de cunho descritivo, de modo que os dados foram analisados na perspectiva da Análise de Conteúdo. Os resultados mostraram que os pontos positivos foram o apoio do professor supervisor para a realização das atividades de estágio e a aprendizagem de tecnologias, de modo que seu uso deve fazer parte do ensino escolar. Os resultados também mostraram que os pontos negativos corresponderam à pouca presença dos alunos nas aulas online, à falta de contato com os alunos e os professores e à falta de acesso direto às plataformas para conduzirem as atividades. Concluímos que o estágio é um eixo formativo que deve ser vivenciado em contato com a realidade escolar e que as tecnologias utilizadas no ensino remoto despertaram o olhar para a necessidade de repensar o uso de outras tecnologias em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Carlos de Proença, Universidade Estadual de Maringá

Ptofessor Associado do Departamento de Matemática da Universidade Estadual de Maringá, campus sede em Maringá, Paraná-Brasil. Atuo na Educação Matemática nos seguintes tema: Resolução de problemas no ensino e aprendizagem de Matemática. Formação inicial e continuada de professores que ensinam Matemática. Formação de conceitos geométricos, aritméticos e algébricos.

Referências

ARAÚJO, O. H. A.; MARTINS, E. S. Estágio curricular supervisionado como práxis: algumas perguntas e possíveis respostas. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 28, n. 1, p. 191-203, jan/abr., 2020.

BALL, D. L.; THAMES, M. H.; PHELPS, G. Content Knowledge for Teaching. Journal of Teacher Education, v. 59, n. 5, 2008, p. 389 – 407.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CP 28/2001. Diário Oficial da União, Brasília, 18 jan. 2002. Seção 1, p. 31. Disponível em:

<http://www.uems.br/proe/sec/Parecer%20CNE-CP%20028-2001.pdf> Acesso: 23 abril 2021.

CANTONI, J.; ROCHEMBACH, E. S.; CHIAPINOTO, A. A. L. Estágio Curricular Supervisionado: perspectivas e desafios de constituir-se educador em tempos de pandemia. Revista Insignare Scientia, v. 4, n. 3, 2021.

FARIA, R. W. S. C.; PASSOS, C. M.; ROSSINOL, A. M.; BATISTA, L. G. Estágio Curricular Supervisionado de Matemática no contexto da pandemia da Covid-19. Pesquisa e Ensino, Barreiras (BA), Brasil, v. 2, p. 1-27, 2021.

FERREIRA, A. M. F.; AGUIAR, A. R. R. C.; OLIVEIRA, J. M. G. (Re)pensar a prática de ensino supervisionada em tempos de pandemia. In: DIAS, K. A. (Org.). Educação em tempos de pandemia e isolamento: propostas práticas. Ponta Grossa – PR: Atena, 2021.

FRANCO, M. A. R. S. Prática Pedagógica e Docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, dez, 2016.

FREITAS, D. A.; MAIOR, P. S.; NASCIMENTO, W. E. Estágio obrigatório e ensino remoto: o que temos a aprender? Cadernos de estágio, v. 2, n. 2, 2020.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LOPES, A. R. L. V. Aprendizagem da Docência em Matemática: o Clube de Matemática como espaço de formação inicial de professores. Passo Fundo: UPF, 2009. 203p.

MAZIERO, A. R.; CARVALHO, D. G. A contribuição do supervisor de estágio na formação dos estagiários. Acta Scientiae, Canoas, v.14, n.1, p. 63-75, jan./abr., 2012.

MIZUKAMI, M. G. N. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Orgs). A formação do professor que ensina matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, 2006, p. 213-231.

OLIVEIRA, R. G. Estágio curricular supervisionado: horas de parceria escola-universidade. Jundiaí: Paco, 2011.

PARANÁ. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE – SEED. Resolução n. 1.522/2020-GS/SEED. Estabelece em regime especial as atividades escolares na forma de aulas não presenciais em decorrência da pandemia causada pela COVID-19.

PICONEZ, S. C. B. (Coord.) et al. A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. 12 ed. Campinas: Papirus, 1991.

PIMENTA S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2004.

SHULMAN, L. S. Those Who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 2, fev., p. 04-14, 1986.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 8 ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2012.

TEIXEIRA, B. R.; CYRINO, M. C. C. T. Desenvolvimento da Identidade Profissional de Futuros Professores de Matemática no Âmbito da Orientação de Estágio. Bolema, Rio Claro, v. 29, n. 52, p. 658-680, ago., 2015.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ. Resolução n. 09/2010-CEP. Dispõe sobre o componente Estágio Curricular Supervisionado nos cursos de graduação e pós-graduação lato sensu da Universidade Estadual de Maringá. Disponível em: http://www.pen.uem.br/site/public/link/download/72a2fd557e431bcbadc1457e13270b92a78455bc. Acesso: 24 abril 2021.

Publicado
2021-12-07
Métricas
  • Visualizações do Artigo 350
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 199
Como Citar
Proença, M. C. de, Mendes, L. O. R., & Oliveira, A. B. de. (2021). Estágio Curricular Supervisionado no Contexto do Ensino Remoto: análise da visão de futuros professores de Matemática. Revista Baiana De Educação Matemática, 2(01), e202108. https://doi.org/10.47207/rbem.v2i01.11965
Seção
Dossiê Temático - O Estágio Curricular Supervisionado em Matemática