Geografia da África: Possibilidades para uma Educação Antirracista

Palavras-chave: Continente africano, ensino de Geografia e História, lei federal10.639/03, educação antirracista.

Resumo

O objetivo deste artigo é sinalizar para um conjunto de possibilidades pedagógicas que podem ser elaboradas no trabalho com o recorte temático do continente africano nas aulas de Geografia a luz do paradigma decolonial de uma educação antirracista. Sabemos que a Lei Federal 10.639/03 e suas diretrizes indicam que “Os conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar” (BRASIL, 2003) o que estabelece um precedente para inserirmos a Geografia nesse debate tendo em vista que ela também é parte dos componentes curriculares obrigatórios na educação básica, e pode ser utilizada como instrumento de compreensão das complexidades espaciais, econômicas, sociais e políticas que envolvem o continente africano, bem como no combate ao racismo, e na construção de uma educação inclusiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonathan da Silva Marcelino, Centro Universitário São Camilo (CUSC)
Doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Foi professor adjunto dos cursos de Geografia, História, Turismo e Pedagogia da Universidade Anhanguera Educacional (SP) entre os anos de 2014-2017. Atualmente exerce docência na Secretaria de Educação do Município de São Paulo na condição de professor concursado de Ensino Fundamental II & Médio (Geografia) e no curso de Pedagogia do Centro Universitário São Camilo.

Referências

ACHEBE, Chinua. A educação de uma criança sob o protetorado britânico: ensaios. Tradução de Isa Mara Lando. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

ALMEIDA, Rosângela D. de; PASSINI, Elza. O espaço geográfico, ensino e representação. São Paulo: Contexto, 1989.

ALBUQUERQUE Jr., Durval Muniz. Preconceito contra a origem geográfica e de lugar: As fronteiras da discórdia. São Paulo: Cortez, 2007.

ALVES, Vicente Eudes Lemos. A obra de Humboldt e sua provável influência sobre a antropologia de Franz Boas. GEOUSP: Espaço e Tempo (Online), n. 18, p. 67-79, 2005.

ANJOS, R. S. A. A utilização dos recursos da cartografia conduzida para uma África desmistificada. Revista Humanidades. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 6 (22), p. 12-32, 1989.

ANJOS, R. S. A. A África, a geografia, o tráfico de povos africanos e o Brasil. Revista Palmares em Ação, Brasília, Fundação Cultural Palmares – MINc, ano, n. 2, p. 56-66, 2002.

ANJOS, R. S. A. A geografia, os negros e a diversidade cultural. Florianópolis, 1998. p. 93-106. (Série O Pensamento Negro em Educação – Núcleo de Estudos Negros).

ANJOS, R. S. A. A geografia, a África e os negros brasileiros. In: MUNANGA, K. (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 1999. p. 169-182.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Parecer CNE/CP 3/2004, homologação publicada no DOU 19/05/2004, Seção 1, p. 19. Resolução CNE/CP 1/2004, publicada no DOU 22/06/2004, Seção 1, p. 11.

BRASIL. Governo Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 10 dez. 2017.

BRASIL. Governo Federal. Lei n.º 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Brasília: 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm> Acesso em: 10 dez. 2017.

BRASIL. Lei n.º 10.639/2003 (lei ordinária) de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “história e cultura afro-brasileira” e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 jan. 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm>. Acesso em: 14 nov. 2017.

BRASIL. Lei n.º 10678, de 23 de maio de 2003. Brasília, 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.678.htm> Acesso em: 10 ago. 2017.

SILVA, Lucas Trindade da. Uma análise comparativa dos conceitos de subalternidade e racialidade. Temáticas, n. 45-46, 2016.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Blumenau: Letras Contemporâneas, 2010.

DINIZ, Flávio Guimarães; ARAÚJO, Thyago Faria de. O uso de filmes no ensino de geografia: uma discussão sobre a representação de África. Anais do 10º Encontro Nacional de Prática de Ensino em Geografia – ENPEG, Porto Alegre, 2009.

DINIZ, F. O. O uso de filmes no ensino de geografia: uma discussão sobre a representação da África. In: DINIZ, F. O. X Encontro Nacional de Prática de Ensino em Geografia, 2009.

HOBSBAWM, Eric J. A era do capital (1848-1875). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

HUME, David. Essays: Moral, Political and Literary (Ed. T.H. Green e T. Grose). London: Longmans, Green and Co., 1875. v. 1, p. 252.

KANT, Emmanuel. Observações sobre o sentimento do belo e do sublime. Campinas, Papirus, 1993.

KANT, Emmanuel. Das Diferentes Raças Humanas. Tradução e notas de Alexandre Hahn. Disponível em: <http://www.academia.edu/3221053/DAS_DIFERENTES_RAÇAS_HUMANAS_- _IMMANUEL_KANT>. Acesso em: 26 mar. 2018.

KI-ZERBO, Joseph. Introdução geral. In: História geral da África I: metodologia e pré-história da África. São Paulo: Ática; UNESCO, 2010.

NEVES. S. L; FIGUEIREDO L. V. R; SANTOS L. M.; FIGUEIREDO L. R. F. É possível reivindicar uma cartografia decolonial? In: VI Congresso em Desenvolvimento Social. Montes Claro, MG. Anais (online). Pág. 1-11. 2018.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: El giro decolonial: reflexiones para uma diversidad epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores.

MARCELINO, Jonathan da Silva. Geografia, Movimento Negro e Relações Étnico-Raciais: Um diálogo necessário. Tese (Doutorado) Universidade de São Paulo. São Paulo, 2019.

MAZAMA, Ama. Afrocentricidade como um novo paradigma In: NASCIMENTO, Elisa Larkin. Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 111-128.

MENESES, Maria Paula. Outras vozes existem, outras histórias são possíveis: Diálogos sobre Diálogos. Niterói: Grupalfa/UFF, 2008.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Território e História no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2002.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. 20. ed. São Paulo: Hucitec, 1987.

MORAES, Antônio Carlos Robert. A Gênese da Geografia Moderna. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 2002.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. 19. ed. São Paulo: Annablume, 2003.

MOREIRA, Ruy. A Geografia serve para desvendar máscaras sociais. In: MOREIRA, Ruy. (Org.). Geografia: teoria e crítica – o saber posto em questão. Petrópolis: Vozes, 1982.

MOREIRA, Ruy. O que é geografia? São Paulo: Brasiliense, 2009.

MOREIRA, Ruy. O pensamento geográfico brasileiro: as matrizes brasileiras. São Paulo: Contexto, 2010.

MOREIRA, Ruy. Para onde vai o pensamento geográfico?: por uma epistemologia crítica. São Paulo: Contexto, 2011.

MOREIRA, Ruy. O discurso do avesso: para a crítica da geografia que se ensina. São Paulo: Contexto, 2014.

MOTA NETO, João Colares da et al. Educação popular e pensamento decolonial latino-americano em Paulo Freire e Orlando Fals Borda. 2015.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem Conceitual das Noções de Raça, Racismo, Identidade e Etnia. Palestra proferida no 3º Seminário Nacional Relações Raciais e Educação. PENESB-RJ, 05 nov. 2003. In: COSTA, D. M.; OSÓRIO, A. B.; SILVA, A. de O. Gênero e Raça no Orçamento Municipal: um guia para fazer a diferença, v. 1, p. 27, 2006.

NEVES. S. L; FIGUEIREDO L. V. R; SANTOS L. M.; FIGUEIREDO L. R. F.; É possível reivindicar uma cartografia decolonial? In: VI Congresso em Desenvolvimento Social. Montes Claro, MG. Anais (online). Pág. 1-11. 2018.

OLIVA, Anderson Ribeiro. A História da África nos bancos escolares: representações e imprecisões na literatura didática. Estudos afro-asiáticos, v. 25, n.3, p. 421-461, 2003.

PINHO, Patrícia de Santana. Reinvenções da África na Bahia. São Paulo: Annablume, 2004.

QUIJANO, Aníbal. WALLERSTEIN, Immanuel. Americanity as a concept, or the Americas in the modern world-system. International Social Science Journal, Paris, UNESCO, n. 134, nov. 1992.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del Poder y Clasificacion Social. Journal of world- systems research, vi, 2, summer/fall 2000.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais, perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005.

QUIJANO, Aníbal. O que é essa tal de raça?. In: SANTOS, Renato Emerson dos. Diversidade, espaço e relações étnico-raciais: o negro na Geografia do Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y Modernidad-racionalidad, 1992. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/36091067/Anibal-Quijano-Colonialidade-e-Modernidade-Racionalidade>. Acesso: mar. 2011.

REGO, Nelson; CASTROGIOVANNI, A. Carlos; KAERCHER, Nestor André. Geografia: Práticas Pedagógicas para o Ensino Médio. Porto Alegre: Artmed, 2007

SANTOS, Renato Emerson dos. O ensino de Geografia e as relações raciais: reflexões a partir da Lei n.º 10.639. In: SANTOS, Renato Emerson dos. Diversidade, espaço e relações étnico raciais: o negro na Geografia do Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SANTOS, Renato Emerson dos. Rediscutindo o ensino de geografia: temas da Lei n.º 10.639. Rio de Janeiro, CEAP, 2009.

SARTRE, Jean-Paul. Prefácio à edição de 1961. In: FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2005.

SEEMANN, Jörn. Friedrich Ratzel entre Tradições e Traduções. Uma Breve Abordagem Contextual. Terra Brasilis (Nova Série). Revista da Rede Brasileira de História da Geografia e Geografia Histórica, n. 1, 2012.

SERRANO, Carlos & Waldman, Maurício. Memória D’África: a temática africana em sala de aula. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, Ilzimeire Alves da. A compreensão do continente africano de forma positiva–uma possibilidade para execução da lei 10.639 em uma escola da zona leste na cidade de Uberlândia. 2017.

SILVA, Lucia Helena Oliveira. História afro-brasileira e africana nas escolas. In: Caderno UNIAFRO 2, Londrina, v.2, p. 8-17, 2007.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Currículo e identidade social: territórios contestados. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidades terminais: as transformações na política da pedagogia e na pedagogia da política. Petrópolis: Vozes, 1996, p.160-178.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Desconstruindo a discriminação do negro no livro didático. Salvador: Edufba, 2003.

WOOD, Denis. Map Art. Cartographic Perspectives, n. 5 p. 6 – 12, 2006.

Publicado
2020-08-04
Métricas
  • Visualizações do Artigo 150
  • PDF downloads: 64