Incursões das literaturas africanas no ambiente escolar: Adaptação de “Terra Sonâmbula”, de Mia Couto, para a linguagem cinematográfica

Palavras-chave: Adaptação, Escola, Literatura Africana, Terra Sonâmbula.

Resumo

O ensino das Literaturas Africanas faz parte dos esforços na luta antirracista, trazendo para o centro dos debates em sala de aula as produções de autores africanos, além de oferecer aos estudantes uma literatura não hegemônica. Este artigo tem por objetivo apresentar incursões das literaturas africanas no ambiente escolar, a partir da adaptação de “Terra Sonâmbula”, de Mia Couto, para a linguagem cinematográfica. “Terra Sonâmbula” mistura a escrita e a oralidade, numa viagem fantástica, trazendo recortes da guerra civil moçambicana e valorizando a cultura da arte de contar histórias. Conhecer e compreender a história e a diversidade cultural africana é uma forma de fortalecer uma corrente que há tempos vem procurando dar conta da necessidade de uma interlocução mais profunda entre o Brasil e o continente africano, em especial com os países de Língua Portuguesa.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josiane Souza Pires Lima, Secretaria Municipal de Educação de Brumado (SEMEC)
Mestre em Letras: Cultura, Educação e Linguagens, pela UESB. Especialista em Educação e Diversidade Étnico Racial, pela UNEB.
Zoraide Portela Silva, Universidade do Estado da Bahia - UNEB
Doutora em Letras (Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa) pela Universidade de São Paulo (FFLCH-USP); Mestre Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Possui graduação em Habilitação em Português e Lit. da L. Portuguesa pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Atualmente é professora Assistente no Departamento de Ciências Humanas-DCH/VI da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), desde 1995, tem experiência na área de Letras, com ênfase nas Literaturas em Língua Portuguesa, especialmente a brasileira e a africana. Pesquisadora na área de literaturas africanas de língua portuguesa com ênfase em Angola, orienta-se pelas linhas de pesquisa: Literatura Comparada, literatura e sociedade; literatura e ensino (com consonância com as Leis 10.639/03 e 11.645/08). Atualmente privilegia enfoques críticos sobre o comparativismo entre Angola e Moçambique (Séculos XX e XXI); Relações entre Cultura e Literatura afro-brasileira; relações entre memória e guerra; escrita, identidade e alteridade.

Referências

AMÂNCIO, Iris Maria da Costa. Literaturas Africanas e Afro-Brasileiras na prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

BRASIL. Lei 10.639/2003, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em jul. 2020.

BRASIL. Lei nº 11.645. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm. Acesso em jul. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.796. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12796.htm. Acesso em jul. 2020.

CHAVES, Rita, CAVACAS, Fernanda, MACEDO, Tânia. (Org). Mia Couto: Um convite à diferença. São Paulo: Humanitas, 2013.

COUTO, Mia. Pensatempos. 2 ed. Lisboa: Caminho, 2005.

COUTO, Mia. Raiz de orvalho e outros poemas. Lisboa: Caminho, 2014.

COUTO, Mia. Terra Sonâmbula. São Paulo: Companhia das letras, 2007.

DALCASTAGNE, Regina. Por que precisamos de escritoras e escritores negros? In: SILVA, Cidinha da (Org.). Africanidades e relações raciais: insumos para políticas públicas na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil. Brasília: Fundação Cultural Palmares, 2014.

FRITZEN, Vanessa. Literatura, História e Memória em O Último Voo do Flamingo, de Mia Couto. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Regional Integrada – Frederico Westphalen, 31 de janeiro de 2013.

LARANJEIRA, Pires. Mia Couto e as literaturas africanas de língua portuguesa. Revista de Filología Románica, n. II, Anexos, p. 185-205. 2001.

LEITE, Ana Mafalda. Oralidades e escritas pós-coloniais: estudos sobre literaturas africanas. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

LOPES, José de Sousa Miguel. Mia Couto No Cinema: Alguns Apontamentos A Partir Da Obra Ficcional Terra Sonâmbula. Mulemba. Rio de Janeiro: UFRJ, V.1, n. 9, pp. 70- 83, jul./dez. 2013.

SANTOMÉ, Jurjo Torres. As Culturas Negadas e Silenciadas no Currículo. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Alienígenas na Sala de Aula: Uma introdução aos estudos culturais em educação. 3ª ed. Petrópolis: Vozes, 2005. p.159-177.

SILVA, Thais Maria Gonçalves da. Reflexões sobre adaptação cinematográfica de uma obra literária. Anu. Lit., Florianópolis, v.17, n. 2, p. 181-201, 2012.

Terra Sonâmbula. Direção e roteiro: Teresa Prata. Música: Alex Goretzki. Moçambique. Produtor: Antônio da Cunha Telles e Pandora da Cunha Telles. 2007. Drama. 103 minutos. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=iukiUyEU-tw> Acesso em 01 jun. 2016.

ZUMTHOR, Paul. Entrevistas e ensaios. Tradução Jerusa Pires Ferreira, Sonia Queiroz. Cotia, São Paulo: Ateliê Editorial, 2005.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. 1. ed. Trad. Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

Publicado
2020-08-04
Métricas
  • Visualizações do Artigo 21
  • PDF downloads: 16