Pedagogia crítica feminista e assessoria popular

A experiência do Grupo Interdisciplinar de Trabalho e Assessoria para Mulheres (GRITAM)

Palavras-chave: Pedagogia crítica, bell hooks, Assessoria Popular, Violência de Gênero, Feminismo

Resumo

O artigo objetiva apresentar as contribuições de bell hooks na área da educação, da pedagogia crítica e da teoria feminista, traçando relações entre a obra da autora e a experiência do Grupo Interdisciplinar de Trabalho e Assessoria para Mulheres (GRITAM), projeto de extensão integrante do Serviço de Assessoria Jurídica (SAJU) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que se dedica à assessoria a mulheres cisgênero, transgênero e travestis em situação de violência de gênero. Trata-se de uma pesquisa com abordagem metodológica mista, dedutiva e indutiva, e com uso de revisão de literatura e relato de experiência. O argumento central sugere que a experiência da extensão universitária em questão, ao trabalhar com gênero e direito das mulheres por uma perspectiva interseccional, permite um processo de politização feminista e constitui um exercício pedagógico crítico dentro do eixo da extensão universitária. Sugere-se que isto é viabilizado tanto pelo objeto de trabalho, os direitos das mulheres, quanto pela estrutura de atuação do grupo, voltada à interdisciplinaridade e protagonismo estudantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Kovalczuk de Oliveira Garcia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGS/UFRGS), bolsista CAPES. Mestra em Sociologia do Direito pelo International Institute for the Sociology of Law (IISL) da Universidad del País Vasco (UPV/EHU). Bacharela em Direito e bacharelanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pesquisadora do grupo de pesquisa Sociedade e Políticas Públicas (UFRGS) e colaboradora do Grupo Interdisciplinar de Trabalho e Assessoria para Mulheres (GRITAM).

Júlia Montanher Lucatto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Graduanda em Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Integrante do GRITAM entre 2020 e 2022. Membra do Direito Para Todas, grupo de extensão vinculado à UFRGS que compartilha conhecimento sobre Direito, Gênero e Educação com alunas das escolas públicas de Porto Alegre. Atual Vice-Presidente do Centro Acadêmico André da Rocha (CAAR).

Loiva Mara de Oliveira Machado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mulher negra, mãe, Assistente Social. Doutora em Serviço Social. Professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Líder do AYA - Grupo de estudos, extensão e pesquisa em Serviço Social, relações sociais de exploração/opressão de raça/etnia e gênero da UFRGS/CNPQ. Integrante do GTP/ABEPSS - Serviço Social, Relações de Exploração/Opressão de Gênero, Feminismos, Raça/Etnia e Sexualidades, com ênfase em Relações étnico-raciais e desigualdades/Antirracismo e Serviço Social. Integrante da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), do ANDES - Seção Sindical UFRGS e da Frente Nacional Assistentes Sociais no Combate ao Racismo. Coordenadora do GRITAM.

Referências

AGÊNCIA SENADO. Derrubado o veto à distribuição de absorventes para mulheres de baixa renda. Senado Notícias, 2022. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2022/03/10/derrubado-o-veto-a-distribuicao-de-absorventes-para-mulheres-de-baixa-renda. Acesso em: 18 mai. 2022.

CERQUEIRA, Daniel; et al. Atlas da Violência. São Paulo: Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2021.

COLLINS, Patricia Hill; BIRGE, Silma. Interseccionalidade. São Paulo: Editora Boitempo, 2021.

CRENSHAW, Kimberle. Mapping the Margins: Intersectionality, Identity Politics, and Violence against Women of Color. Stanford Law Review, vol. 43, n. 6, p. 1241–1299, 1991. Disponível em: https://doi.org/10.2307/1229039. Acesso em: 18 mai. 2022.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2016.

hooks, bell. Ensinando a transgredir. A educação como prática da liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2019a.

hooks, bell. E eu não sou uma mulher? Mulheres negras e feminismo. São Paulo: Rosa dos Tempos, 2019b.

hooks, bell. Teoria feminista das margens ao centro. São Paulo: Editora Elefante, 2019c. E-book.

hooks, bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. São Paulo: Editora Elefante, 2019d. E-book.

hooks, bell. Ensinando pensamento crítico: sabedoria prática. São Paulo: Editora Elefante, 2020.

hooks, bell. Ensinando comunidade: uma pedagogia da esperança. São Paulo: Editora Elefante, 2021. E-book.

JACCOUD, Luciana; BICHIR, Renata; MESQUITA, Ana Cleusa. O SUAS na proteção social brasileira. Novos Estudos - CEBRAP, vol. 36, n. 2, pp. 37–53, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/nec/a/Vkv7r47xGw7Hd6XmZdh7HfL/abstract/?lang=pt. Acesso em: 18 mai. 2022.

KONZEN, Lucas Pizzolatto. Projeto abrigando a cidadania: a assessoria jurídica popular e os desafios da efetividade. In: ABRÃO, Paulo; TORELLY, Marcelo (Orgs.). Assessoria jurídica popular: leituras fundamentais e novos debates. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. p. 191-206.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 5. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

KOVALCZUK, Amanda; DA SILVA, Giuliana Glass. As mulheres na academia e o retorno para a universidade. In: Segunda Semana da Faculdade de Direito e do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul sobre o Dia Internacional das Mulheres, 2022. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=MKGwldoUMBE. Acesso em: 18 mai. 2022.

MACHADO, Loiva Mara de Oliveira. Educação Não-Formal: Processo Coletivo de Construção de Saberes e Experiências. RECSA - Revista Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas, vol. 3, n. 1, pp. 62-72, jan/jun 2014. Disponível em: https://revista.fisul.edu.br/index.php/revista/article/view/26/23. Acesso em: 13 mai. 2022.

NUNES, Thiago Celsa. SAJU: breves apontamentos e suas tendências. Serviço de Assessoria Jurídica Universitária da UFRGS. Disponível em: http://www.ufrgs.br/saju/sobre-o-saju/historia-1/saju-breves-apontamentos-e-suas-tendencias. Acesso em: 15 mai. 2022.

RAMOS, Leonardo Serrat. Convênio SAJU e LBA, 2007. Disponível em: http://www.ufrgs.br/saju/sobre-o-saju/historia-1/registro-convenio-saju-e-lba/at_download/file. Acesso em: 15 mai. 2022.

RAMOS, Leonardo Serrat. SAJU - Histórico 1950-1963. Serviço de Assessoria Jurídica Universitária da UFRGS. Disponível em: http://www.ufrgs.br/saju/sobre-o-saju/historia-1/registro-saju-de-1950-a-1963/at_download/file. Acesso em: 15 mai. 2022.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma revolução democrática da justiça. São Paulo: Cortez, 2011.

VASCONCELOS, Maria Eduarda Mantovani; AUGUSTO, Cristiane Brandão. Práticas Institucionais: revitimização e lógica familista nos JVDFM’s. Direito em Movimento, Rio de Janeiro, v. 23, p. 47-100, 2º sem. 2015. Disponível em: https://www.emerj.tjrj.jus.br/revistadireitoemovimento_online/edicoes/volume23/volume23_87.pdf. Acesso em: 18 mai. 2022.

WEISS, Raquel; HAMLIN, Cynthia. A outra margem. Revista Contraponto, vol. 8, n. 3, pp. 12-26, jan. 2022. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/contraponto/article/view/123566/84598. Acesso em: 13 mai. 2022.

Publicado
2022-06-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 131
  • pdf downloads: 68
Como Citar
Garcia, A. K. de O., Lucatto, J. M., & Machado, L. M. de O. (2022). Pedagogia crítica feminista e assessoria popular: A experiência do Grupo Interdisciplinar de Trabalho e Assessoria para Mulheres (GRITAM). Abatirá - Revista De Ciências Humanas E Linguagens, 3(5), 452 - 473. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/14446