Desnudando um corpo perturbador: a “bipedia compulsória” e o fetiche pela deficiência na Dança

Carlos Eduardo Oliveira do Carmo

Resumo


Este artigo apresenta a “bipedia compulsória”, conceito em desenvolvimento pelo autor, como uma estrutura social, política, econômica e cultural que determina padrões excludentes pautados na normatividade do corpo, subjugando e inferiorizando as potencialidades da pessoa com deficiência, tomadas por incapazes e inaptas. Estabelece diálogos com autores da Teoria Crip, que compreende a deficiência em seus aspectos históricos e culturais, em contraposição ao modelo social. Observa o fenômeno da “bipedia compulsória” pelo viés da Dança, trazendo uma análise dos espetáculos “Striptease-Bicho” e “O Corpo Perturbador”, que abordam o devoteísmo – fetiche pela deficiência – associando-o a determinados comportamentos hierárquicos recorrentes na Dança e nas relações sociais estabelecidas com as pessoas com deficiência. Entende tais relações pautadas pelo pensamento abissal (SANTOS, 2010), que determina diferenciações entre corpos  aptos ou não para dançar.


Palavras-chave


Bipedia compulsória; Deficiência; Dança.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35499/tl.v13i2.7422

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


DOI: http://www.revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras

ISSN: 2176-5782

Classificação Qualis Períodicos CAPES: B3

Indexadores:

        

 

 Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.