Cecília Meireles e a Mitologia Greco-Latina

Antony Cardoso Bezerra

Resumo


A continuidade dos elementos da tradição clássica ao longo das épocas sucedâneas é marcante. No seio da Modernidade, em que a visita ao plano greco-latino é dominada por uma perspectivação histórica, não são raras as atribuições de novas qualidades a mitos e a lendas, num diálogo frutuoso. No contexto da poesia brasileira, uma autora realizou essa interface superiormente: Cecília Meireles. Em algumas composições de Vaga Música (1942) e de Mar Absoluto: e outros poemas (1945), a poetisa elabora fábulas da Mitologia Greco-Latina em nova clave, mantendo e renovando suas características primevas. Após a discussão do papel exercido pelo influxo da Antiguidade na Modernidade e a breve exposição dos termos em que Cecília Meireles dialoga com a tradição, analisa-se um corpus de quatro poemas que refiguram três personagens do mundo clássico: Caronte, Diana e Narciso. Em cada comentário aos poemas, oferece-se um bosquejo literário e histórico-crítico dos mitos, para, posteriormente, analisarem-se os procedimentos linguísticos e poéticos empregados pela escritora para a elaboração dos textos.


Palavras-chave


Cecília Meireles; Mitologia Greco-Latina; Diálogo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35499/tl.v13i1.5986

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


DOI: http://www.revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras

ISSN: 2176-5782

Classificação Qualis Períodicos CAPES: B3

Indexadores:

        

 

 Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.