Diálogo e performatividade no drama

Cleise Furtado Mendes

Resumo


O artigo discute estratégias de composição do diálogo dramático, em textos contemporâneos, sob a ótica das teorias da enunciação e da linguística pragmática, com ênfase nos atos de fala (speech acts) e nos efeitos ilocucionários das interações verbais. Essa abordagem implica o deslocamento de hábitos correntes na análise de peças teatrais, por levar em conta menos o sentido referencial das réplicas do que o particular modo de ação dos seres dramáticos, em suas trocas intersubjetivas, por meio da linguagem. O texto também aborda a noção de dialogismo, tanto como interação discursiva quanto confronto de vozes sociais e históricas. O diálogo dramático tem sido objeto de atenção em vários campos de pesquisa, em especial nos estudos linguísticos dos fenômenos da enunciação. Mas o conceito de dialogismo, desenvolvido por Mikhail Bakhtin no contexto de sua teoria do romance, ainda é pouco presente nas análises da escrita dramatúrgica. A partir de exemplos da dramaturgia contemporânea, propõe-se aqui uma visão da forma dramática como espaço privilegiado para a representação das trocas enunciativas, da interação dialógica pela qual os sujeitos ganham existência graças ao discurso do outro.


Palavras-chave


Diálogo dramático; Enunciação; Atos de fala;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35499/tl.v0i3.153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


DOI: http://www.revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras

ISSN: 2176-5782

Classificação Qualis Períodicos CAPES: A4

Indexadores:

        

 

 Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.