Narrar o cotidiano escolar: espaço vivido e currículos praticados

Silvia Letícia Costa Pereira Correia, Natanael Reis Bomfim

Resumo


Este artigo tem por objetivo compreender como são produzidos os currículos no cotidiano escolar, a partir do conteúdo das representações sociais do espaço vivido, construídas por alunos do 5º ano de escolarização, de uma escola da rede municipal de ensino de Salvador/BA. Para tanto, utilizamos aportes teórico-metodológicos capazes de articular os conceitos de práticas cotidianas, espaço vivido e currículo. Os resultados apontam para contribuições, pedagógicas, epistemológicas e políticas, ao destacar as vicissitudes do processo educativo e a possibilidade de promoção e aperfeiçoamento das práticas pedagógicas de professores do ensino fundamental I.


Palavras-chave


Representações Sociais; Espaço Vivido; Currículo; Cotidiano.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, N. Decifrando o pergaminho: o cotidiano das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa de.; ALVES, Nilda. (Orgs.). Pesquisa no/do/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis, RJ: DP&A, 2008. p. 15-38. (Coleção Vida Cotidiana e Pesquisa em Educação).

ALVES, Nilda. Cultura e cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação, n. 23, p. 62-74, mai./jun./jul./ago, 2003.

ALVES, Nilda. No cotidiano da escola se escreve uma história diferente da que conhecemos até agora. In: COSTA, Marisa Vorraber. (Org.). A escola tem futuro? 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007. p. 77-96.

ALVES, Nilda; OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Uma história da contribuição dos estudos do cotidiano escolar ao campo do currículo. In: LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. (Orgs.). Currículo: debates contemporâneos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 13-54.

ALVES, NILDA. Compassos e descompassos do fazer pedagógico. In: GARCIA, Alexandra; OLIVEIRA, Inês Barbosa de. (Orgs.). Nilda Alves: praticantepensante de cotidianos. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015. p. 85-101.

ALVES, Nilda. O espaço escolar e suas marcas: o espaço escolar como dimensão material do currículo. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

ANDRÉ, Marli E. D. A. de. A etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BALANDIER, G. Essai d’identification du quotidien. Cahiers Internationaux de sociologie, vol. LXXIV, Paris: Puf, 1983. p. 5-12.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria da Educação Fundamental. Ministério da Educação e Cultura. 3. ed. Brasília, DF: MEC/SEF, 2001.

BRASIL. Plano Nacional de Educação 2014-2024. Ministério da Educação e Cultura. Brasília, DF: MEC, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 mai. 2015.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Ministério da Educação e Cultura. Brasília, DF: MEC, 1996. Disponível em: . Acesso em: 14 mai. 2016.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. 2ª versão revista. Brasília, DF: MEC, 2016.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. Tratado de Sociologia do Conhecimento. Tradução de Floriano de Souza Fernandes. 24 ed. Petrópolis: Vozes, 2004. p. 5-247.

BLUMER, Herbert. Symbolic interactionism. New Jersey: Prentice-Hall, Inc.; Englewood Cliffs, 1969.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

CASTRO, Iná Elias de. Prólogo. In: MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. Ed. revista e modificada. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. p. 3.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano 1: artes de fazer. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CERTEAU, Michel de; GIARD, Luce; MAYOL, Pierre. A invenção do cotidiano 2: morar, cozinhar. Tradução de Ephraim F. Alves e Lúcia Endlich Orth. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CHIZZOTTI, Antonio. O cotidiano e as pesquisas em educação. In: FAZENDA, Ivani. (Org.). Novos enfoques da pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 1992. p. 85-98.

COULON, Alain. Ethnométhodologie et education. Paris: PUF, 1995.

DELEUZE, Gilles; GUATTARRI, Félix. Introdução: Rizoma. In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs – Capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. v. 1. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. p. 10-36.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Pesquisa com o cotidiano. Educação Sociedade, Campinas, v. 28, n. 98, p. 73-95, jan./abr. 2003. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2017.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Ensaio de uma metodologia efêmera: ou sobre as várias maneiras de se sentir e inventar o cotidiano escolar. In: ALVES, Nilda; OLIVEIRA, Inês Barbosa de. (Orgs.). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas – sobre redes de saberes. São Paulo: DP&A, 2008. p. 101-117. (Coleção e Pesquisa em Educação).

FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães. Currículos realizados e/ou vividos nos cotidianos de escolas públicas: sobre como concebemos a teoria e a prática em nossas pesquisas. In: MACEDO, E.; MACEDO, R. S.; AMORIM, A. C. (Orgs.). Como nossas pesquisas concebem a prática e com ela dialogam? Campinas, SP: FE/UNICAMP, 2008. p. 4-13. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2016.

GARCIA, Regina Leite. Do baú da memória: histórias de professora. In: ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite. (Orgs.). O sentido da escola. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. p. 43-63.

GARFINKEL, Harold. Studies in ethnomethodology. New Jersey: Prentice-Hall, Inc.; Englewood Cliffs, 1967.

GIARD, Luce. Momentos e lugares. In: CERTEAU, Michel de.; GIARD, Luce; MAYOL, Pierre. A invenção do cotidiano 2: morar, cozinhar. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996. p. 17-29.

GIARD, Luce. História de uma pesquisa. In: CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano 1: artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 9-31.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Editora Unesp, 1991.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. São Paulo: Paz e Terra, 1972.

HETKOWSKI, T. M. Prática instituinte e aprendizagem colaborativa. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE HIPERTEXTO – Desafios Linguísticos, Literários e Pedagógicos, 1., 2005, Recife. Anais... Recife: UPFE, 2005. CDROM.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Perfil dos Municípios Brasileiros 2011. [Pesquisa de Informações Básicas Municipais]. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

IBGE. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2013. Ministério da Educação. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2015.

JUAN, S. Les formes élémentaires de la vie quotidienne. Paris: PUF, 1996.

JUNQUEIRA, Ivan. Poesia reunida. São Paulo: A Girafa, 2005.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. O pensamento curricular no Brasil. In: LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. (Orgs.). Currículo: debates contemporâneos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 13-54.

LEFEBVRE, Henri. A produção do espaço. Tradução de Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins (do original: La production de l’espace. 4. ed. Paris: Éditions Anthropos, 2000). Primeira versão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

MAFFESOLI, Michel. O conhecimento comum: compêndio de sociologia compreensiva. Tradução de Aluizio Ramos Trinta. São Paulo: Brasiliense, 1988.

MELLO, Guiomar Namo de. Os 10 maiores problemas da educação básica no Brasil (e suas possíveis soluções). Edição de Fátima Ali. Agosto de 2003. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2017.

MORIN, Edgar. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. Ed. revista e modificada. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

NASCIMENTO, Antônio Dias; HETKOWSKI, Tânia Maria. Educação e comunicação: diálogos contemporâneos e novos espaços de reflexão. In: DIAS, Antônio; HETKOWSKI, Tânia Maria. (Orgs.). Educação e contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 135-158.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Currículos praticados: entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Currículos e pesquisas com os cotidianos: o caráter emancipatório dos currículos “pensadospraticados” pelos “praticantespensantes” dos cotidianos das escolas. In: FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães. (Orgs.). Currículos, pesquisas, conhecimentos e produção de subjetividades. Rio de Janeiro: DP&A, 2012. p. 47-70.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de.; ALVES, Nilda. (Orgs.). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

PAIS, José Machado. Nas rotas do quotidiano. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 37, p. 105-115, jun. 1993. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2017.

PATTO, Maria Helena de Souza. A produção do fracasso escolar – Histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T. A. Queiroz, 1987.

PENIN, Sonia. Cotidiano e escola: a obra em construção. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

PEREIRA, Mateus Henrique de Farias; SARTI, Flávia Medeiros. A leitura entre táticas e estratégias? Consumo cultural e práticas epistolares. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, v. 14, n. 31 p. 195-217, mai./ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2016.

SANTOS, Tarsis de Carvalho. Sob a égide da memória: as tecnologias de informação e comunicação na preservação da história das escolas da rede pública de ensino. 2016. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2016.

SANTOS, Boaventura dos. Pela mão de Alice. O social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 1995.

SILVA, Kátia Feijó da; LYRIO, Kelen Antunes; MARTINS, Nicéa de Souza. Michel de Certeau e a Educação. Pró-Discente: Caderno de Prod. Acad.-Cient. Progr. Pós-Grad. Educ., Vitória, ES, v. 17, n. 2, p. 63-74, jul./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2016.

SCHUTZ, Alfred. Fenomenología del mundo social: Introducción a la sociología compreensiva. Tradução de Eduardo J. Prieto. Buenos Aires: Paidos, 1972.

SIMMEL, George. Sociologie et épistemologie. Paris: PUF, 1981.

SIROTA, Régine. L’École primaire au quotidien. Paris: PUF, 1988.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitude e valores do meio ambiente. Tradução de Lívia de Oliveira. São Paulo: Difel, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2018.v3.n9.p1029-1045

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

 

 

Portal SEER

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis B2 Educação

 A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de  Atribuição-NãoComercial CC BY-NC