A TRAGÉDIA DE ESPARTA – DISCURSO, PODER POLÍTICO E GÊNERO NA ANDRÔMACA DE EURÍPIDES

Luis Filipe Bantim de Assumpção

Resumo


O presente artigo tem por objetivo
analisar o discurso de Eurípides na obra
“Andrômaca” como um mecanismo de
poder político para depreciar a conduta
dos espartanos durante a guerra do
Peloponeso. Nesta obra, Eurípides se
utilizou da representação do gênero
feminino para denunciar os excessos de
Esparta, cuja debilidade políticoconstitucional
teria sido incapaz de
manter as suas mulheres sob controle.
Para cumprir esses objetivos, o poeta
trágico edificou um discurso que
representou o comportamento feminino
de Esparta através da heroína Hermíone
e da forma como esta controlava os
homens ao seu redor. Assim,
consideramos o contexto histórico e o
lugar social de Eurípides como
pressupostos fundamentais para a
construção de seu discurso e das
representações pejorativas que este
projetou sobre a cultura espartana.
Palavras-chave: Eurípides; Esparta;
Gênero

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.