“NO REINO DA FEITIÇARIA”: POPULARIDADE E REPERCUSSÃO DAS PRÁTICAS RELIGIOSAS DE ORIGEM AFRICANA EM SALVADOR (1900-1920)

Iury Abreu Tavares Batista

Resumo


A partir de um conjunto de notícias
coletadas em alguns jornais baianos,
este trabalho discute particularmente a
popularidade dos serviços mágicoreligiosos
do candomblé entre a
população de Salvador nas duas
primeiras décadas do século XX,
revelando uma diversidade de indivíduos
e grupos sociais envolvidos com a
religiosidade de origem africana,
malgrado as interdições de ordem moral
vigentes e a repressão aos terreiros e aos
líderes religiosos acusados de feitiçaria e
curandeirismo. Nesse sentido, por conta
desse variado entrecruzamento de atores
sociais que se achavam envolvidos de
formas diversas com a religiosidade afrobaiana,
sinaliza-se a difusão do
candomblé na vida social soteropolitana.
Este estudo revela um quadro de larga
atuação dos curandeiros e adivinhos
junto à população e mostra que o
candomblé buscou e conquistou algum
espaço na vida cultural da cidade,
servindo tanto a negros e mestiços, a
grande maioria, quanto a brancos.
Palavras-chave: candomblé, feitiçaria,
curandeirismo, diversidade, Salvador.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.