A POLÍTICA DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO CAPITALISTA

Isabel Cristina de Jesus Brandão , Jorsinai de Argolo Souza

Resumo


O presente artigo versa sobre a
política de formação continuada para
professores da Educação Infantil do
Município de Itapetinga-Bahia,
desenvolvendo-se um estudo crítico
sobre os impactos das reformas
educacionais dos anos 90, através da
política neoliberal, efetivadas a partir
da lógica do capital e da
produtividade, na definição de
políticas de formação de professores e,
consequentemente, no trabalho
docente. Evidencia-se, após o estudo,
que a formação continuada não se
constitui como prioridade na
organização das políticas
educacionais do município e há
interesses governamentais em
preservar as situações de
desvalorização do trabalho docente,
pois corroboram para manter o
funcionamento da lógica do sistema
capitalista vigente no nosso país.
Propõe-se a existência de um Sistema
Nacional de Educação para definir
uma política global de formação e de
valorização, capaz de contemplar formação inicial e continuada,
condições de trabalho, piso salarial e
carreira, qualificando pedagógica,
metodológica, científica e
politicamente os professores.
Palavras-chave: Educação Infantil.
Formação Continuada. Política de
Formação de professores.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.