ANÁLISE PRELIMINAR DA CONTROLADORIA DA CIDADE DE SALVADOR

João Marcelo Pitiá Barreto, Eduardo Fausto Barreto, Maria da Graça Pitiá Barreto

Resumo


A Controladoria tem sido alvo de estudos e destaque de análises e reflexões dos estudiosos das ciências que têm como foco o campo gerencial das organizações como a da Administração e Contabilidade. É importante observar a contribuição da Controladoria à governança pública, fundamento de uma gestão democrática e participativa. Nesse contexto, insere-se o objetivo deste estudo, refletir sobre atuação da controladoria pública da cidade de Salvador, observando a contribuição efetiva na governança nesse município. Os estudos foram desenvolvidos na Secretaria da Fazenda (SEFAZ) do município a quem Controladoria vincula-se. Com caráter exploratório, essa investigação descritiva envolveu pesquisa de campo, análise de documentos e relatórios emitidos pela SEFAZ e pelo Tribunal de Contas do Município (TCM). Verificou-se o organograma da SEFAZ, seu orçamento e os pareceres do TCM. Os resultados expressam a importância da Controladoria e denotam a impressão de que, na instituição estudada, essa área não esteja cumprindo bem seu papel. 


Palavras-chave


Controladoria Pública; Governança; Salvador; SEFAZ.

Texto completo:

ARTIGO

Referências


ALMEIDA, Lauro B de, PARISI, Cláudio e PEREIRA, Carlos Alberto – Controladoria. In CATTELI, Armando (Coord.) Controladoria: uma abordagem da gestão econômica – GECON, 2 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

ANDRADE E ROSSETI (2006)

BABIC, V. Corporate governance problems in transition economies. Winston-Salem: Wake Forest University, Social Science Research Seminar, 2003.

BARRETO, Maria da Graça Pitiá. Controladoria na Gestão: a relevância dos custos da qualidade. São Paulo: Saraiva, 2008.

BORINELLI, Márcio Luiz. Estrutura Conceitual da Controladoria: Sistematização à luz da teoria e da práxis. Tese de Doutorado em Controladoria e Contabilidade defendida junto ao Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. 341 páginas. São Paulo: USP, 2006.

CADBURY, Adrian. The future of governance; the rules of the game. Journal of General Management, v. 24, 1999.

CAMPIGLIA, Américo Oswaldo e CAMPIGLIA, Oswaldo Roberto. Controles de Gestão. S.Paulo: Atlas, 1995

CARVALHO, Marcelo. Cidades: Identidade e Gestão. São Paulo: Saraiva, 2009.

CATELLI, Armando (Coord.). Controladoria: Uma abordagem da GECON. São Paulo: Atlas, 1999.

Constituição Federal do Brasil, 1988. Constituição do Estado da Bahia, 1989.

DIXIT, A. Incentives and Organizations in the Public Sector: An Interpretative Review, The Journal of Human Resources, 37(4)/; 696-727.

FIGUEIREDO, Sandra e CAGGIANO, Paulo César. Controladoria: Teoria e Prática. São Paulo: Atlas, 1997.

FURTADO, Celso. Quando o futuro chegar. In SACHS et al. Brasil: um século de transformações. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

GIAMBIAGI, Fábio e ALÉM, Ana Cláudia. Finanças Públicas: teoria e prática no Brasil. 3ª. Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

GONÇALVES, Carlos Alberto e MEIRELLES, Anthero de Moraes. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas, 2004

HORN, Murray. J. Political economy of public administration: institutional choice in the public sector. Cambridge: Cambridge University Press, 1995

IBGC. Disponível em . Site do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Acesso em 27/03/12.

JENSEN, Michael C. and MECKLING, William H. Theory of the Firm: Managerial Behavior, Agency Costs and Ownership Structure. Harvard: Journal of Financial Economics, October, 1976, V. 3, no. 04, pp 305-360

KANITZ, Stephen Charles. Controladoria: Teoria e Estudo de Casos. São Paulo: Pioneira,1976.

LAFER, Celso – O Brasil e o Mundo. In SACHS et al. Brasil: um século de transformações. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 162 a 221.

LANGLEY, Ann. Strategies for theorizing from process data. Academy of Management Review, 1999. Vol. 24. No. 4, 691-710.

NASCIMENTO M. Auster, BIANCHI Marcia. Um estudo sobre o papel da controladoria no processo de redução de conflitos de agência e de governança corporativa. In: Congresso de Contabilidade e Controladoria da USP, 2005, São Paulo. Anais do V Congresso de Contabilidade e Controladoria da USP, 2005.

NORTH, Douglas. Instituitions. In The Journal of Economic Perspectivies. Vol 5. No.1 (Winter, 1991) PP. 97-112

OLIVEIRA, Djalma de P. Rebouças. Planejamento Estratégico: Conceitos, Metodologia, Práticas. 13ª. Edição. São Paulo: Atlas, 1999.

OLIVEIRA, Gilson Batista de. Uma discussão sobre o conceito de desenvolvimento. In Revista da FAE. Curitiba: v.5, n.2, p.37-48, maio/ago. 2002

PADOVEZE, Clóvis Luis. Controladoria Estratégica e Operacional: conceitos, estrutura, aplicação. São Paulo: Pioneira Thomson, 2003.

PEREIRA, Bresser. Do Estado Patrimonial ao Gerencial. In SACHS et al. Brasil: um século de transformações. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 222 a 259.

PEREZ JUNIOR, José H., PESTANA, Armando O. e FRANCO, Sérgio Paulo C. - Controladoria de Gestão. São Paulo: Atlas, 1995.

Resolução 1120/05 do Tribunal de Contas dos Municípios do estado da Bahia.

WATTS, Ross. L; ZIMMERMN, Jerold. L. Positive Accouting Theory. New Jersey: Prentice-Hall, 1986. _________________________Positive Accounting Theory: a Ten Year Perspective. University of Rochester. The Accounting Review. Vol 65. No. 1 – jan/1990; pp 131 -156.




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/rgfc.v2i1.47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.