COMPETÊNCIAS DE ALFABETIZAÇÃO DOS INGRESSOS DA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: UM ESTUDO DESCRITIVO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO SÃO FRANCISCO

João Carlos Hipólito Bernardes do Nascimento, Valcemiro Nossa, Juliana Reis Bernardes, Wellington Dantas de Sousa

Resumo


O presente estudo de caso, de caráter predominantemente quantitativo, foi realizado em uma Instituição de Ensino Superior (IES) do Vale do São Francisco compreendendo 42 alunos ingressantes no curso de graduação em Ciências Contábeis com o objetivo de investigar se os ingressantes no curso de graduação em Ciências Contábeis apresentavam plena competência de alfabetização funcional. Os estudos que mensuram habilidades latentes, como é o caso específico da alfabetização funcional, têm apresentado desenvolvimento apreciável nos últimos anos, trazendo a Teoria de Resposta ao Item (TRI) como a principal técnica multivariada para a compreensão dos resultados. Assim, por meio de um questionário composto por 15 questões oriundas da National Assessment of Adult Literacy - NAAL, buscou-se efetuar uma análise comparativa do desempenho dos alunos utilizando a Teoria Clássica dos Testes (TCT) e a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Os resultados obtidos por meio da utilização da TCT foram corroborados pela TRI, indicando que, de fato, parte dos alunos ingressantes no cursos de Ciências Contábeis da IES ostentam fragilidades relevantes nas competências de alfabetização. Dado o atual nível de sofisticação das IFRS e, principalmente, a subjetividade (julgamento da essência sobre a forma) advinda desse novo modelo, pode-se concluir que essa fragilidade na competência básica de alfabetização é incompatível com a demanda existente por parte do mercado por profissionais de Contabilidade. Embora os resultados alcançados não possibilitem generalizações, estes mostram-se relevantes no momento em que possibilitam a reflexão sobre as competências de alfabetização de alunos que estão chegando à academia.

 


Palavras-chave


Alfabetização Funcional; Teoria Clássica dos Testes; Teoria de Resposta ao Item; Ciências Contábeis.

Texto completo:

ARTIGO

Referências


ANDRADE, DALTON FRANCISCO DE; TAVARES, HELITON RIBEIRO; VALLE, RAQUEL DA CUNHA. Teoria da Resposta ao Item: Conceitos e Aplicações. SINAPE, 2000.

ALLENDORF, M. Literally Literacy. Journal of Consumer Research, v. 27, n. 4, p. 505 – 511, 2001.

BOCK, R.D.; ZIMOWSKI, M.F. Multiple Group IRT. Handbook of Modern Item Response Theory, Springer, 1996. 510 p.

BRADBURN, NORMAN M.; SUDMAN, SEYMOUR; WANSINK, BRIAN..Questions - The Definitive Guide to Questionnaire Design - For Market Research, Political Pol

CASELLA, G., BERGER, R. L. Inferência estatística - tradução da 2ª edição norte-americana. Centage Learning, 2011. 612 p.

CAXITO, F. D. A.; MOREIRA, D. A., FERREIRA, P. S.; QUEIROZ, A. C. S. Alfabetismo Funcional e a Capacidade de Auto Aprendizado: Um Estudo com Alunos Universitários de Administração e Tecnologia. XXXI Encontro da ANPAD Rio de Janeiro - RJ, Anais do Encontro da ANPAD, 22 a 26 de setembro de 2007.

COLOSSI, N.; CONSENTINO, A.; QUEIROZ, E. G. Mudanças no contexto do Ensino Superior no Brasil: uma tendência ao ensino colaborativo. Revista FAE, Curitiba, v.4, n.1, p.49-58, jan./abr. 2001.

DIEHL, A. A.; TATIM, D. C.. Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas: Métodos e Técnicas. São Paulo: Pearson, 2004.

EDELEN , MARIA ORLANDO; REEVE, BRYCE B. Applying item response theory (IRT) modeling to questionnaire development, evaluation, and refinement. Quality of Life Research, 16, pág. 5–18, 2007.

FAN, X. Item response theory and classical test theory: An empirical comparison of their item/person statistics. Educational and Psychological Measurement, n. 58, 1998.

FERREIRA, P. S. O alfabetismo funcional na indústria: estudo exploratório sobre a medição do seu índice e análise da correlação com variáveis sócio-demográficas. 2006. 240 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Centro Universitário Nove de Julho, São Paulo.

FIGUEIREDO, VERA LÚCIA MARQUES DE; MATTOS, VIVIANE LEITE DIAS DE; PASQUALI, LUIS; FREIRE,ALINE POESTER. Propriedades psicométricas dos itens do teste WISC-III1. Psicologia em Estudo, n. 3, v.13. Maringá July/Sept, 2008

HAYES, B. E. Measuring customer satisfaction: development and use of questionnaires. Milwaukee, Wisconsin: ASQC Quality Press, 1942.

HARDIN, J. R., O'BRYAN, D, QUIRIN, J.J. Accounting versus engineering, law, and medicine: perceptions of influential high school teachers. Advances in Accounting, v. 17, p. 205-220, 2000.

HAMBLETON, R., SWAMINATHAN, H. & ROGER, H. Fundamental of item response theory. London: Sage, 1991.

HARRAWAY, J.A. AND BARKER, R.J. Statistics in the workplace: a survey of use by recent graduates with higher degrees. Statistics Education Research Journal, n. 4, v.2, p. 43-58, 2005.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO (IPM). INAF Brasil 2011: Indicador do Alfabetismo Funcional – principais resultados, 2012. Disponível em: . Acesso em 24 de Agosto de 2012.

JUSTINO, Gilvan; ANDRADE, Dalton Francisco de. Ambiente Computacional para Implementação de Métodos da Teoria da Resposta ao Item - TRI, versão 1.0.0.0, 2007, 1 CD-ROM. Windows. (_______). EstatR, versão 1.0.0.0, 2006, 1 CD-ROM. Windows.

KUMAR, R.. Research Methodology – a step-by-step guide for beginners. 2nd ed. London: Sage, 2005.

MÜLLER, SONIA ISOLDI MARTY GAMA. Sistema integrado de avaliação com aplicação na engenharia. 2007. Tese. (Doutora em Ciências) - Programa de Pós Graduação em Métodos Numéricos em Engenharia. Departamentos de Matemática e de Construção Civil da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

MURRAY; T. SCOTT; RICHARD, DESJARDINS; SERGE, COULOMBE; JEAN FRANCOIS, TREMBLAY. A Dimensão Económica da Literacia em Portugal: Uma Análise. Gabinete de Estatística e Planejamento da Educação (GEPE): Lisboa, 2009.

NASCIMENTO, J. C. H. B.. O analfabetismo funcional e a contabilidade: um estudo exploratório com concluintes da graduação das instituições de ensino superior do estado do Espírito Santo. 2012. 131f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças (FUCAPE), Vitoria, 2012.

NATIONAL CENTER FOR EDUCATION STATISTIC (NCES). 1993 National Adult Literacy Survey. Disponível em: < http://nces.ed.gov/NAAL/naalhistory.asp >. Acesso em 15 Jan 2011, 2012.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). The measurement of scientific and technical activities: proposed guidelines for collecting and interpreting technological innovation data – Oslo Manual. Paris, 1996.

PARK, H. and P. KYEI. Literacy Gaps by educational attainment: a cross-national analysis. Social Forces, v. 3, n. 89, p. 879-904, 2011.

PASQUALI, L. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

PENMAN, S. Accounting for intangible assets: There is also an income statement. Abacus, n. 45, v. 3, pág. 358–371, 2009.

REISE, S.P. AINSWORTH, A.T. HAVILAND, M.G. Item Response Theory Fundamentals, Applications, and Promise in Psychological Research, Current Directions in Psychological Science, Vol. 14 n. 2, p 95 – 101, 2005.

STROMQUIST, N. The political benefits of adult literacy. Background paper for EFA Global Monitoring Report 2006, 2005. Disponível em: . Acesso em 22 Jul 2012.

TAVARES, H. R. Teoria da Resposta ao Item para dados longitudinais. 2001. Tese (Doutorado em Estatística) – Programa de Pós Graduação em Matemática e Estatística. Instituto de Matemática e Estatística /USP, São Paulo, 2001.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION (UNESCO). Statistics of illiteracy: Unesco standard-setting instruments. Incorporating supplement 1. Paris, 1982. Disponível em: . Acesso em 14 Abr 2012. (_______).International Literacy Statistics: A Review of Concepts, Methodology and Current Data. Institute for Statistics, Montreal, 2008. Disponível em: . Acesso em 10 Jul 2012.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION (UNESCO). Statistics of illiteracy: Unesco standard-setting instruments. Incorporating supplement 1. Paris, 1982. Disponível em: . Acesso em 14 Abr 2012. (_______).International Literacy Statistics: A Review of Concepts, Methodology and Current Data. Institute for Statistics, Montreal, 2008. Disponível em: . Acesso em 10 Jul 2012.

VALLE, R.C. Construção e interpretação de escalas de conhecimento: um estudo de caso. Estudos em Avaliação Educacional, n. 23, 71-42, 2001.

WAGNER, D. Literacy skill retention. In: WAGNER, D.; VENEZKY, R.; STREET, B. Literacy: an international handbook. Colorado (USA); Oxford (UK): Westiew, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/rgfc.v3i2.229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.