BOPE: AS HISTÓRIAS E OS DESAFIOS DE UMA TROPA ESPECIALIZADA

CIDICLÉIA GOMES DA SILVA SANTOS, LUCAS CHAVES DOS SANTOS, REMULO VELOSO SANTOS

Resumo


Apesar de recente como unidade autônoma dentro da estrutura organizacional da Polícia Militar da Bahia - PMBA, as Operações Especiais no estado surgiram ainda na década de 70, quando em 1979, foi criado o Pelopes na estrutura da Companhia de Polícia de Choque, sediada no 5º Batalhão de Polícia Militar, no Centro Administrativo da Bahia. Para compor o efetivo dessa fração foi designado um grupamento de recrutas que deveria ser formado com direcionamento para as missões diferenciadas que o Pelopes deveria atender. A formação profissional desse efetivo, além das técnicas policiais convencionais, era pautada em combate de contraguerrilha, e técnica de defesa interna e territorial, adequadas àqueles tempos. Essa fração de valorosos policiais, que se propôs a enfrentar as ocorrências mais complexas da época, buscando se aperfeiçoar e manter um mínimo de treinamento, pode ser considerado o embrião do Batalhão de Operações Especiais - BOPE como hoje se apresenta. Nesse contexto o objetivo desse trabalho consiste em apresentar o contexto histórico do BOPE e sua importância enquanto tropa especializada no atendimento de ocorrências de alta complexidade e intervenção de alto risco. E como objetivos específicos identificar as principais demandas para criação de uma tropa especializada e conhecer as estratégias utilizadas pela PMBA para obtenção de êxito no projeto de criação do BOPE. A metodologia utilizada foi a pesquisa de campo com entrevista a policiais da referida Unidade, além da utilização dos referencias disponíveis na internet. Em 1983, através do Decreto n.º 29.458, de 24 de janeiro de 1983, foi criado o Batalhão de Choque, tendo como uma de suas subunidades a Companhia de Operações Especiais – COE, localizada em Lauro de Freitas onde funciona até os dias de hoje. Infelizmente a violência aumentava a cada dia e mais uma vez a necessidade de criação, agora do Batalhão de Operações Policiais Especiais – BOPE, em 2014, com efetiva implementação em 2015, com a nomeação do primeiro comandante. São valores do BOPE: a dignidade humana, a ética, a lealdade, a disciplina, o profissionalismo, a humildade, o pertencimento e o sentimento de cumprimento da missão. É importante informar que para fazer parte do BOPE é preciso passar por uma seleção bem rigorosa, e participar do Curso de Operações Especiais – COPES. As principais missões do BOPE são cumprimento de mandados de prisões de alta periculosidade, atendimento antibombas, equipe de atiradores de elite, negociação e gerenciamento de crises, dentre muitas outras. Assim acredita-se que quanto mais as pessoas conhecerem a verdadeira missão do BOPE, irão respeitar e valorizar mais esses policiais que arriscam a própria vida na defesa de um ideal maior que é a segurança pública de milhões de pessoas.

Palavras-chave


BOPE; História; Memória

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 CIDICLÉIA GOMES DA SILVA SANTOS, LUCAS CHAVES DOS SANTOS, REMULO VELOSO SANTOS


 

Universidade do Estado da Bahia – UNEB – Campus I
Rua Silveira Martins, 2555, Cabula – Salvador-BA
CEP 41.150-000
Prédio da Pós-Graduação em Educação – GEOTEC

 
ISSN: 2674-7227

PERIODICIDADE: Bienal

INDEXADORES E DIRETÓRIOS: 


Todo o conteúdo publicado nestes Anais está licenciado com uma Licença Creative Commons - Attribution-ShareAlike 4.0 International.