O PELOURINHO SOB O OLHAR DA ARTE LITERÁRIA: CAPITÃES DA AREIA

LUÍS GUSTAVO DOREA SOUZA

Resumo


O Pelourinho é um dos bairros mais famosos da cidade de Salvador. Localiza-se no Centro Histórico da cidade, área que abrange as ruas que vão do Terreiro de Jesus até o Largo do Pelourinho. O mesmo possui um conjunto arquitetônico colonial barroco brasileiro preservado e integrante do Patrimônio Histórico da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (UNESCO). Este trabalho tem como objetivo difundir o Pelourinho enquanto espaço cultural e histórico da cidade de Salvador, através da obra literária Capitães da Areia. Os objetivos específicos consistem em comprovar a importância histórica do Pelourinho e estabelecer a importância do bairro para constituição do próprio livro. Quanto à metodologia, o trabalho fez uso de pesquisas bibliográficas e de campo, com entrevista ao responsável pela Fundação Casa de Jorge Amado. Existem diversas obras literárias que têm como palco o bairro do Pelourinho, dentre elas: Tereza Batista, Capitães da Areia, Suor. Entretanto, neste trabalho destaca-se a obra Capitães da Areia, onde a mesma traz o Pelourinho enquanto cenário de suas histórias. O fato da cidade de Salvador iniciar sua história nesta região foi marcante para a criação dos romances do escritor. Seu interesse pelo Pelourinho confunde-se também com sua própria emancipação, já que aos 15 anos ele morou sozinho no bairro. No prefácio da obra em questão, ele afirma: “Fiz com que a ação deste romance se passasse num daqueles casarões da Ladeira do Pelourinho e fiz de propósito: não só porque num daqueles casarões (onde morei) conheci a maior parte dos personagens como porque me parece que só neste ambiente me poderia o romance e os personagens do romance tomar tons de revolta diante da sua angustiante miséria[..]”. Assim, em 1937, Jorge Amado publicou Capitães da Areia onde relata as aventuras dos meninos de rua que se mantém através do furto e da malandragem. Estes moravam numa casa abandonada, perto da praia. O grupo era composto por cerca de 100 crianças, coordenadas por Pedro Bala: filho de um grevista morto a balas. Os meninos corriam através das ruas do Pelourinho, descendo as ladeiras com a intenção de fugir das perseguições policiais. Portanto, o livro é denominado como uma obra de denúncia, devido ao seu conteúdo crítico em chamar a atenção do leitor para o descaso das entidades públicas e governantes com o abandono de crianças. Estas crianças praticavam pequenos delitos para sobreviver e o Pelourinho era inserido no contexto político e econômico que representava o bairro antigamente, sendo hoje um polo turístico e cultural. Diante das análises feitas, percebe-se a importância do bairro para constituição da arte literária enquanto espaço cultural e histórico da cidade de Salvador.

Palavras-chave


Pelourinho; Obras literárias; Capitães da Areia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LUÍS GUSTAVO DOREA SOUZA


 

Universidade do Estado da Bahia – UNEB – Campus I
Rua Silveira Martins, 2555, Cabula – Salvador-BA
CEP 41.150-000
Prédio da Pós-Graduação em Educação – GEOTEC

 
ISSN: 2674-7227

PERIODICIDADE: Bienal

INDEXADORES E DIRETÓRIOS: 


Todo o conteúdo publicado nestes Anais está licenciado com uma Licença Creative Commons - Attribution-ShareAlike 4.0 International.